Casa de 1751 ganha banho de tinta e fica com a cara dos donos

Numa bela e antiga construção de 1751, a artista Kristin e seu marido Nicholas Mark passaram os últimos 14 anos pintando e repintando cada ambiente, conferindo aos cômodos um pouco de sua própria personalidade.

Tons fortes em verde, vermelho e azul contrastam com estampas geométricas nas paredes e nos acessórios, enquanto fotos antigas e o mobiliário de família dão uma pitada vintage à decoração.

biblioteca verde, móveis e objetos antigos, decoração vintage
Neste escritório, por exemplo, uma pintura de verde lavado na parede faz contraponto com a manta vermelha sobre a cadeira e o tapete turco. A máquina de escrever sobre a mesa de madeira e as dezenas de livros na estante, dispostos de forma aleatória, dão um toque pessoal ao espaço. As lanternas turcas penduradas também fazem a diferença e deixam a casa mais charmosa.
sofá listrado, papel de parede geométrico e cadeira vermelha na biblioteca
No living, a artista criou seu próprio papel de parede, recortando tampas de caixas do correio americano, colando-as umas sobre as outras e soltando sua criatividade na hora de pintá-las à mão. Mais uma vez são as fotos antigas, os móveis e outros objetos que mostram que vive uma família ali, e que não se trata apenas de um showroom de decoração.
Painel antigo de madeira cobre a lareira na sala e objetos trazidos de viagem dão toque pessoal à decoração
No entorno da lareira, o painel de madeira foi preservado. Objetos trazidos de viagens e algumas fotografias arrematam o visual.
Sala com parede estampada e florida, quadros e móvel antigo de família repaginado
Neste cantinho da parede, a pintura à mão faz a diferença. O aparador é herança da tia-avó da artista e, após ter recebido uma fina camada de tintura preta ficou um pouco mais moderna.
Cozinha rústica com móveis de madeira coloridos, piso de madeira de demolição, luminária de ferro fundido antiga, mesa de madeira antiga
Na cozinha, o móvel da avó foi repaginado. Ganhou tintura laranja e uma cortina de bordado no lugar de uma porta quebrada. Na copa, o piso de madeira de demolição foi mantido e combina com a madeira da mesa antiga. A luminária de ferro fundido preto complementa o aspecto rústico/retrô.
luminárias de papel, teto de madeira, cadeiras coloridas na sala de jantar
O casal construiu ainda um segundo ambiente para as refeições, que ficou divertido com lanternas de papel, quadrinhos e cadeiras coloridas.
Sala de estar com móveis de vime, luminárias antigas pintadas à mão e almofadas coloridas
Como extensão do ambiente de refeições, foi criada uma colorida área para as visitas, a partir de mobiliário de vime, almofadas de estampas distintas e luminárias antigas. Veja que a iluminação natural, vinda de janelas bem amplas, faz com que o espaço pareça maior do que realmente é.
quarto com parede laranja de patna ganha ar rústico com madeira aparente no teto
Neste quarto, os moradores optaram por brincar com tons quentes, como laranja, rosa e amarelo. O quadro na parede, que fica rústica com suas madeiras aparentes, se destaca por conta da cor verde.
banheiro tem metade da parede em madeira branca e a outra metade da parede amarela, com banheira antiga e manchada
Nem o banheiro escapou das cores! Metade da parede é coberta com réguas de madeira e a outra parte com tinta amarela. Veja que propositalmente foram deixadas algumas marcas de tinta na banheira, reforçando a mensagem de que ela já é bem antiga.
fachada da casa americana branca construída em 1751, decorada com cores por artista
Casa branca antiga de 1751 ganhou anexo de madeira
Por fim, vejam que singela a fachada da casa, que há dois anos recebeu um anexo de madeira.
Fotos: Houzz

Casa ganha novo invólucro sobre fachada antiga

Os arquitetos do escritório Ooze, com base em Paris e Roterdã, aceitaram o desafio de aumentar essa casa na Holanda aproveitando o espaço já construído e criando um novo invólucro pra fachada. A casa original lembrava uma típica fazenda holandesa e foi erguida no início do século passado.

Projeto de casa com telhado verde e ripas de madeira é do escritório escritório Ooze, com base em Paris e Roterdã

Casa recebeu nova fachada, mas preservou características antigas de fazendas holandesas

Em 2003, ela já havia passado por uma ampliação. Mas agora foram acrescentadas escada lateral, placas de grama e ripas de madeira no telhado para que a identidade com as antigas casas do bairro fosse mantida. O objetivo do escritório era “redescobrir o futuro” por meio da preservação da alma da casa da forma mais sustentável possível.

casa tem telhado verde, vigas de madeira, muito vidro e ângulos

Ampliação foi feita sobre estrutura antiga e deu espaço à construção de uma nova escada na lateral

As duas paredes principais da planta original tiveram sua altura aumentada para sustentar a nova altura da construção, de 11 m.

O layout consiste em uma estrutura de formato semicircular, com dois novos volumes verticais unidos sob um telhado pontiagudo.

Casa lembra origami japonês. Fachada nova foi erguida sobre estrutura antiga

Com ângulos diferentes, nova fachada lembra origami

O interior da casa é elegante e clean, com pouquíssimos móveis – convenhamos que com um exterior desses a casa nem precisaria de muito mais sofisticação por dentro!

Uma boa sacada foi o uso de painéis pré- fabricados de madeira na obra, o que permitiu que o projeto fosse concluído mais rapidamente.

A sala de jantar, que é uma extensão da cozinha, foi mantida no térreo e ganhou um mesão branco com luminárias bem modernas.

Cozinha fica na área térrea e tem saída para área verde

Cozinha branca e elegante foi construída no térreo da casa

Por serem mais leves, os materiais que foram usados também permitiram que as paredes externas mantivessem sua espessura fina. Veja que os limites entre teto, parede e chão desaparecem.

Novo anexo da casa holandesa deu a ela diferentes ângulos

No quarto, nova estrutura trouxe luminosidade, mas tomou parte da altura do teto. Por isso, a opção pela cama de futon

As novas escadas levam ao segundo e ao terceiro pavimento, onde foi feita a ampliação.

Casa ficou moderna com vidro, madeira e muitos ângulos, mas manteve identidade com antigas fazendas holandesas

No térreo da casa, anexo abriga escada que leva aos andares superiores

Luminárias modernas, escada e muitos ângulos em casa cômodo do novo anexo

Segundo andar da casa, com vista para telhado verde

Obra adicionou fachada feita de vidro e madeira à casa na Holanda

Muitos ângulos mesclam os limites entre teto, paredes e chão

Não é que o formato lembra aqueles origamis japoneses?

Fotos: Yatzer.com

Parabólica: Inspiração Art Nouveau

Surgido na França no final do século XIX, o estilo Art Nouveau está de volta com a graciosidade de seus contornos e motivos florais. A tendência reaparece não apenas nas passarelas, mas também na decoração e na arquitetura. A estilista e blogueira convidada Marina Teiman mostra pra gente como essa releitura está se espalhando por aí.

Por Marina Teiman

Tendência nas últimas passarelas, o estilo Art Nouveau ressurge repaginado. As curvas e flores continuam sendo sua maior característica, mas agora aparecem de forma mais clean e contemporânea.

influência de art nouveau na moda

1 – Painel de tendências

A característica principal do Art Nouveau foi trazer novos contornos para a arquitetura, mas sem que ela perdesse a essência do tradicional. Apesar de não ter a pintura como ponto de partida, a corrente chegou a influenciar artistas modernos como Toulouse Lautrec e Eliseu Visconti.

O estilo adotou folhagens, flores e cisnes como principais formas, no acabamento e na ornamentação de portões, grades e construções. Seu design curvilíneo influenciou também a tipografia, com a criação de cartazes que passaram a ser trabalhados com a técnica da litografia (gravuras coloridas) nas produções de letras e imagens.

A partir desses desenhos, a indústria têxtil passou a adotar o estilo em estampas, espalhando-o mais ainda.

Acompanhem nas fotos a seguir como diversos segmentos artísticos têm se inspirado neste tema que une de forma extremamente harmoniosa o clássico e o romântico.

terninhos estampados

2. MIU MIU Inverno/2012

fachada diferente, de madeira

3. Townhouse em Leiden/Holanda

textura moderna na parede

4. Escadaria da mesma residência em Leiden/Holanda

sandália dourada Eli Talahari

5. Sandálias Eli Talahari 2012

porta com janela redonda

6. Porta Art Nouveau

poltrona de jardim butterfly

7. O banco remete ao espírito romântico do estilo

grafitti zezao

8. Obra do grafiteiro paulistano Zezão – versão modernizada

Imagens: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8
Gostou? Aproveita para prestigiar o blog dela: Parabólica

Curso de decoração – parte VI

Para arrematar o nosso curso de decoração, que já ensinou a listar as funcionalidades de cada ambienteas sensações que eles vão transmitir, a construir conceitos, definir materiais, texturas e cores, e a colocar tudo na planta, hoje vou falar de quebrar regras. Sim, quebrar regras é a única regra.

Regras de decoração

A cor ideal para um quarto, a proporção milimetricamente calculada entre mesa de jantar e luminária, o comprimento correto da cortina e o tipo de iluminação que se usa hoje em dia – todos vão te levar ao lugar comum. A chance de você acabar em um ambiente sem graça, com cara de apartamento decorado de lançamento imobiliário é enorme. Lindo, mas sem a sua alma, sem a sua cara, tedioso e previsível. O que nunca sai de moda é ser autêntico.

Minhas dicas para não cair na armadilha da casa padronizada e dar personalidade ao seu ambiente:

1 – Não tenha medo de ser brega. TODO MUNDO tem alguma coisa de gosto meio duvidoso em casa. Nem que seja porque tudo é perfeitinho demais. O que, cá entre nós, é bem brega. Sabe aquela lembrancinha de Porto Seguro que você ganhou da tia avó que você adora? Ou o bonequinho do Mestre Yoda que seu marido acha o máximo e quer colocar na sala? Seu sonho é uma cortina de veludo cheia de pompas e bordados, toda luxuosa, que nem de um castelo francês? Seja o que for, se isso vai te trazer boas sensações, não se acanhe. Uma pitada de mau gosto (existe isso?) traz humor e personalidade ao ambiente. De repente você ainda lança tendência 😉

decoração brega

Não esconda seu lado baranga. Se alguém perguntar, você fala que é um toque kitsch!

2 – Tenha a casa organizada no ponto certo – o seu ponto. Bagunceiro sem salvação? Assuma. Uma ou outra coisa fora do lugar não vai matar ninguém, e quem é bagunceiro sabe: é um pouco de desordem que te faz se sentir em casa. Obcecado por arrumação? Tenha armários e gavetas suficientes para guardar tudo, inclusive a correspondência do dia e as chaves do carro. Tem criança que brinca na sala? Deixe um cantinho com os brinquedos dela ou faça com que eles participem da decoração, mesmo.

como guardar brinquedos na decoração

Bichos de pelúcia podem complementar a decoração com cor e diversão. Outros brinquedos podem ser guardados numa caixa bonita como esta vazada, na mesinha lateral.

3 – Espalhe um pouco de você pela casa. Fotos ou objetos trazidos de viagens inesquecíveis, imagens religiosas que signifiquem algo para você, frases que realmente te inspirem, livros que te lembram aprendizados importantes para o seu dia a dia, sua cor preferida, um aroma que te agrade.

objetos de viagens

Lembranças de viagens e detalhes na decoração do home office da Helô.

4 – Não tenha medo de enjoar de nada. Se você sempre quis uma parede amarelona, não vá para o amarelinho pálido porque você acha que vai se cansar da cor forte. Não tem essa. Primeiro que, se você gosta da cor, não vai se cansar dela. E, se cansar, é só pintar de novo. Fácil e barato. Sofás se revitalizam com novas almofadas ou uma manta. Tapetes e quadros mudam de ambientes, cadeira pode ser pintada de novo. Nada precisa ser eterno e você não tem que se cobrar por isso. A nossa casa deve refletir quem nós somos. E quem é igual todo dia?

parede pink

Enjoou? Pinta de branco, troca as capas das almofadas e você tem uma sala toda nova.

E você, qual regras já quebrou? Conta pra todo mundo se inspirar e perder o medo de ousar 🙂

Imagens: 1 | 2 | 3 | 4

Os três passos para uma boa iluminação na decoração

Uma ferramenta importantíssima e muitas vezes negligenciada até por profissionais é a iluminação de um ambiente. Ela é responsável por garantir o mínimo de visibilidade e segurança – para caminhar, ler, cozinhar, comer – mas também é o principal instrumento de ambientação de um espaço, que traz conforto visual, dá o clima pretendido, cria efeitos especias, destaca objetos e traz emoção.

Para facilitar, vamos resumir a três os tipos de iluminação em uma residência: a geral, a de tarefa e a decorativa.

Primeiro passo: garantir a iluminação geral

É a responsável por garantir que o ambiente como um todo estará iluminado e que ninguém vai tropeçar em um degrau ou bater a cabeça em uma prateleira por falta de luz. A melhor fonte neste caso é a própria luz do sol.

sala bem iluminada

1. Janelas amplas deixam a luz entrar, as paredes e o teto super brancos refletem essa luminosidade dando um banho de luz em todo o ambiente.

Quando chega a noite, ou quando a luz do sol é insuficiente, podemos utilizar a iluminação artificial para complementar. Ela pode ser direta ou indireta.

plafons redondos na sala de estar

2. Idealmente, a luz direta deve se propagar nas três dimensões. Isso significa que spots embutidos no forro de gesso NÃO cumprem a função de iluminação geral de um ambiente. Plafons, pendentes, luminárias de piso ou parede com cúpulas translúcidas são mais indicados.

quarto todo branco com luz indireta

3. A iluminação arquitetural (indireta) utiliza elementos da arquitetura como teto e parede para refletir a luz. Ao contrário do que se pensa, com uma boa lâmpada e tendo uma parede em textura e cor adequadas para refletir luz, esta é uma forma bem eficiente de se iluminar um ambiente.

Segundo passo: providenciar iluminação para as tarefas

Depois que o ambiente como um todo estiver bem iluminado, pode ser necessário um ponto extra de luz para proporcionar conforto ao ler um livro ou segurança para cortar uma peça de carne na bancada da cozinha, por exemplo. Essa luz deve ter uma intensidade adequada para o tipo de tarefa e ser direcionada para o local de realização dessa função.

Além disso, deve estar livre de obstáculos até a superfície a ser iluminada para não provocar sombras (se a sua mão ou sua cabeça estiverem no meio do caminho), e evitar o ofuscamento direto (luz direcionada para os olhos) ou indireto (reflexo excessivo).

luminarias para cozinha

4. De novo, cuidado com os spots embutidos no forro de gesso se a intenção é apoiar uma tarefa. Em uma cozinha, por exemplo, seu corpo pode fazer sombra sobre a bancada. A solução de iluminação sob o armário superior é excelente.

abajur para leitura na sala

5. Para leitura, esta luminária funciona super bem. Pode ser movimentada facilmente, alterando seu ângulo, não tem o risco de sua cabeça entrar no caminho e apresenta uma intensidade boa, superior à luz ambiente.

Terceiro passo: divirta-se com a iluminação decorativa

Agora, sim, chegou a vez dos spots embutidos no forro de gesso. Seu ambiente já está iluminado e você consegue realizar suas tarefas com conforto e segurança. É hora de fazer graça.

A iluminação decorativa é toda ligada nas emoções que você quer transmitir. Elas não têm uma função racional, a não ser dar destaque a objetos, criar uma atmosfera aconchegante ou efeitos interessantes.

spots destacam parede listrada

6. Spots dão destaque a uma parede diferente.

iluminação na sala

7. Spots ou fitas de LED embutidas dão destaque para objetos em nichos e quadros.

iluminacao colorida na decoracao

8. Neste bar, a intenção era dar um clima de mergulho, trazendo a sensação de se estar no mundo submarino. Fala que não conseguiram só com a iluminação? Até me lembrou o post que fiz sobre o filme Avatar.

Resumindo, é importante sempre passar pelos três passos: avaliar se a iluminação geral está suficiente, se as tarefas podem ser realizadas com segurança e conforto visual e só pensar em soluções para dar um efeito especial na decoração com a garantia de já ter alcançado os dois primeiros passos.

Para mais posts sobre iluminação, veja este sobre minha birra com o uso excessivo de spots e sobre lâmpadas fluorescentes, principalmente para a iluminação arquitetural.

Para quem quer brincar com os efeitos dos diferentes tipos de iluminação, recomendo os sites da Dominici e da La Lampe. Fica super fácil de entender!

Imagens: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

Tão lindo que dá vontade de trabalhar!

Segunda-feira é dia de retomar os trabalhos, mas sempre bate aquela preguicinha. Então a gente resolveu postar aqui alguns exemplos de home office – tão lindos que podem dar mais ânimo para a gente reformular o escritório, ou até alimentar o sonho de quem pretende, um dia, trabalhar de casa…

O blog ChicTip.com listou algumas ideias de home office que são bem fáceis de se executar. O primeiro, criado pelo escritório americano Hirsch Bedner Design, ficou bem clean com a bancada de madeira branca em frente a um painel de madeira mais bruta (leia sobre paineis que escondem os fios). O tapete de couro no chão complementa o ar rústico, quebrado pela cadeira modernosa, em tom laranja.

Repare que a iluminação indireta é intensa, como deve ser em um ambiente de trabalho, mas ao mesmo tempo não é exagerada e nem faz sombra sobre a mesa – já que vem do alto e da frente.

As prateleiras são práticas porque deixam os livros bem à mão e permitem que a mesa de trabalho fique mais livre, apenas com o material que estiver sendo utilizado.

O tapete de couro e a marcenaria deram um ar sofisticado ao ambiente, juntamente com a cadeira laranja

Já a segunda foto  mostra um projeto do arquiteto Kevin Kevin Pruitt, que usou elementos como madeira (inclusive nos tacos escuros do chão), vidro e um mobiliário mais retrô, como o do buffet com pés palito, que serve de armário, e a cadeira Charles e Eames.

Note no ar de rusticidade trazido pela combinação da pedra e da madeira com o couro, que deixa o home office mais aconchegante. Sozinhos, no entanto, esses elementos poderiam ter deixado o escritório com aquela cara de antigo e pesado, o que foi quebrado pelas linhas super retas por todos os lados, a parede branquíssima e a luminária mais moderna, com aparência cromada.

Móvel com pés palito serve para armazenar livros e documentos, e cadeira Charles e Eames ajuda a dar estilo ao escritório

A terceira imagem mostra um exemplo bacana porque aproveita um espaço atrás da escada, que dificilmente seria bem utilizado. Não é a solução ideal para quem trabalha full time em casa, já que não tem gavetas, iluminação adequada e nem espaço para material de trabalho. Além disso, por ficar em uma área de passagem, acaba desconcentrando quem está trabalhando.

Mas não deixa de ser um projeto fácil, prático e barato, de um escritório também americano chamado Baldridge Architects.

Parede de vidro suporta prateleira e bancada de madeira. Aproveitamento de espaço é diferencial do escritório

O mais bonito de todos, e que serviu de inspiração para esse post, foi um que vimos lá na Casa Cor das arquitetas Agnes Manso e Alice Miglorancia. O amarelo, que está super na moda, deu um ar bem jovial e criativo ao ambiente, complementado por tijolos aparentes na parede e madeira.

Escritório ganhou ar de modernidade com bancada amarela, tijolos aparentes e madeira

Os puffs complementam o visual e a geladeirinha vermelha retrô dá mais comodidade a quem fica ali trabalhando o dia todo.

Bancada amarela, marcenaria e tijolos aparentes são complementados por geladeira retrô

Novamente, a gente percebe ali a iluminação indireta, nicho para organização de itens de escritório e muitas prateleiras (tanto na horizontal quanto na perpendicular).

Por falar em Casa Cor, lembra que nosso concurso cultural que está dando um par de ingressos para uma visita ao Casa Talento e às outras exibições termina amanhã à meia-noite. Quem ganhar vai assistir a um desfile do estilista Arnaldo Ventura. Tá imperdível! Vem aqui e participa!

Um achado: apartamento moderno recheado de móveis antigos

Todo mundo sabe que está na moda garimpar móveis e objetos antigos (ou velhos, mesmo). Mas o que todo mundo sempre pensa é em repaginar, dar um ar mais contemporâneo ao móvel para fazer um belo contraste de estilos. Agora, garimpar antiguidade de verdade e fazer todo um ambiente ser super atual é outra coisa. Este apartamento é a prova de que essa combinação é fantástica. Está à venda, e grande parte dos móveis fica!

aparador no hall de entrada

O piso de taco e a porta de ferro não deixam mentir: este não é um apartamento recém construído. Um rádio que virou aparador e o espelho assimétrico já deixam qualquer um admirado. E a parede azul petróleo (em tempo, uma cor bem presente no Salão do Móvel de Milão este ano) avisa que este não é um imóvel qualquer.

paredes em tons de azul

Da sala, uma abertura na parede azul celeste parece emoldurar a composição do hall. Os batentes em branco dão ainda mais destaque às cores escolhidas.

esculturas antigas sobre aparador de madeira

Os diferentes tons de azul abraçam os inúmeros objetos e móveis antigos do apartamento. O rodapé, em um tom mais escuro, faz a conexão de tudo. Uma boa aplicação de Color Block na decoração 😉

A gente sabe que azul é uma cor fria, mas repare nas próximas fotos como o salão é bem aconchegante. Tapetes e estofados charmosos, móveis e objetos com história e personalidade dão uma cara muito pessoal à casa.

sala de jantar integrada

A mesa de jantar sobre o tapete em diagonal parece dançar pela sala. O jogo de linhas retas desalinhadas no piso quebra regras e, junto com a excelente iluminação natural, dá uma ar de liberdade e movimento delicioso.

sala em azul e vermelho

A sala é enorme e foi dividida em 3 ambientes. Sofás, poltronas, bancos e tapetes, tudo com muita personalidade. Toques de vermelho em pufes e almofadas deixam a sala mais interessante. O banco de madeira é uma boa solução para não isolar os ambientes, deixando a conversa fluir quando a festa é maior. Esta sala me lembrou um post que fiz para ajudar uma leitora a organizar uma sala muito grande, lembram?

cozinha ampla integrada com a sala

A cozinha é totalmente aberta para o salão e quebra o padrão do antigo. Brancona e com muito metal, tem ares de industrial. Mas à direita uma parede burgundy burgundy (outra cor no auge da moda) quebra a frieza e faz um contraste lindo que aquece a cozinha moderníssima com arte. (Viu os janelões do piso ao teto lá na sala?)

cozinha com piso de ladrilho hidráulico

A parede burgundy e o piso de ladrilho hidráulico, bem retrô. Nem parece a mesma cozinha, bem acolhedora. E a sala de almoço é bem iluminada por uma janela generosa.

lavabo cinza, branco e vermelho

Muita gente esquece que branco e cinza são cores que podem fazer efeitos interessantíssimos na decoração. Aqui os banheiros bem neutros, mas nada daquela máxima de ousar no lavabo e deixar o resto da casa sem graça. Tudo faz sentido e a brincadeira entre o antigo e novo continua: repare nas torneiras.

banheiro do casal com cuba dupla

O banheiro da suíte tem uma configuração bem atual, com duas cubas e bastante simetria. Mas os acabamentos são tradicionais, com aquela cara gostosa de casa da avó. E o detalhe das luminárias em cores diferentes para cada espelho?

Se interessou?

285m2, 4 quartos com 1 suíte

VENDA: $1.770.000,00

COND: $990,00

IPTU: $2.200,00/ ano

INFO: casadaidea[arroba]gmail.com

Viga sem vergonha

Muita gente tem medo de vigas.
“Quebrar a parede? E vai ficar aquela viga horrorosa aparecendo?”. Não dá pra quebrar, mesmo, tem que conviver. Mas existem soluções lindas para tirar proveito delas. 
viga no meio da sala

1. Com uma base de mdf sob a viga você ganha uma prateleira que pode ser útil para guardar livros ou deixa espaço para quadros.

como disfarçar vigas no teto

2. Pra quem tem um monte de vigas poder ter um monte de espaço para guardar livros.

como disfarçar viga

3. Quebrou a parede e ficou uma viga no meio? Um painel de gesso sob a viga com iluminação embutida pode se transformar em um eixo de simetria aparentemente proposital.

forro de gesso para disfarçar viga

4. Outro exemplo de forro de gesso disfarçando a viga. O alinhamento com o aparador equilibra o ambiente.

iluminação no forro de gesso

5. Usar as vigas como suporte para uma mini sanca pode resolver toda a iluminação do ambiente. Experimente colocar uma lâmpada T5 😉

6. A sala ganhou a área do quarto e levou as vigas de quebra. O retângulo no teto delimita o espaço do escritório, alinhadinho com o tapete.

 
Imagens: 1, 2, 3, 4, 5, 6