Conheça o Fasano de Porto Feliz, por Isay Weinfeld

Hoje a gente trouxe pra vocês um projeto incrível do arquiteto paulista Isay Weinfeld, erguido a 100 km de São Paulo. Trata-se do Hotel Fasano Boa Vista, em Porto Feliz. Construído em um complexo de 750 hectares, o hotel foi projetado de frente para um lago e, apesar de ser contemporâneo, guarda várias características do modernismo.

Construído de frente para o Lago, hotel usa madeira, pedras e vidro

Hotel, com características modernistas, foi construído todo na horizontal

Pra começar, sua estrutura é toda horizontalizada. Composto por duas asas simétricas, sendo uma levemente côncava e a outra sutilmente convexa, a base do Fasano é feita da combinação de vigas de madeira, vidro e pedra.

Hotel horizontam com madeira, pedras e cimento

Duas asas em torno da recepção abrigam os quartos

O pé direito de todos os ambientes é altíssimo, o que amplia a sensação de grandiosidade. Em seu interior, o chão é construído em madeira de perobinha e tanto as paredes quanto o teto são feitos de freijó.

Veja que a mistura da madeira com as pedras nas paredes é o ponto alto da construção. No mobiliário das áreas em comum, o arquiteto optou por peças atemporais, e o grande charme é a lareira que desce do teto e alcança a todos no espaço, com cobertura de 360 graus.

Lareira, móveis de design e vidros compõem o ambiente

Na área em comum, uma lareira que desce do teto e aquece 360 graus

Os quartos, que ficam dos lados direito e esquerdo da recepção, têm dois andares, sendo em cima o dormitório e embaixo a sala. Cada um deles é claramente delimitado e afastado do outro, como se fosse uma caixa individual.

cabeceira acolchoada, banquetas de couro e iluminação aquecem o quarto

Quartos do Fasano são delimitados pela alvenaria. A sensação é que cada um está em uma caixa

A vista para o lago é um convite para sair à varanda. Note que com um cenário desses o arquiteto não precisou se preocupar tanto com a decoração. Poucos e bem escolhidos móveis são suficientes para ocupar o espaço, juntamente com as paredes forradas com freijó.

Hotel do arquiteto Isay Weinfeld em Porto Feliz

No quarto, pé direito alto dá sensação de amplitude, enquanto cabeceira acolchoada, banquetas de couro e tapete aquecem o ambiente

Quero muito conhecer! E vocês?

Fotos: Divulgação

Arquitetura: Na Espanha, igreja em ruínas abriga projeto supermoderno

Diante de tantas construções novas, o processo de restauração, renovação e intervenção nessa igreja da Espanha é um colírio para os olhos. Não apenas pelo resultado magnífico, mas pelo cuidado com o passado. O convento de São Francisco foi construído no começo século XVIII por padres franciscanos. Em 1835, foi saqueado e, depois disso, foi se deteriorando progressivamente, o que levou à sua demolição em 2000.

Em torno da igreja foram construídos um auditório e um centro multicultural

Apenas a igreja foi mantida, mas ficou em ruínas. Nesse projeto supercriativo, o que restou dela se transformou em um auditório e um centro multicultural. A intervenção consolidou a igreja, mas não apagou seu processo de deterioração e o colapso que o prédio sofreu durante todo esse tempo, o que dá um caráter ainda mais especial à obra.

Em torno da igreja foram construídos um auditório e um centro multicultural

As dimensões do espaço interno foram mantidas e a luz natural banha o ambiente através das aberturas incomuns do telhado parcialmente destruído. Ao invés de reconstruir a igreja, a obra apenas manteve o edifício existente, distinguindo claramente os novos elementos que se sobrepõem aos velhos.

Isso se dá com o uso de estruturas bastante finas (reparem como o volume que “segura” a escada é suportado por vigas e lajes muito elegantes) e do vidro, que interfere minimamente no volume já existente.

Intervenção no convento de São Francisco, na Espanha, manteve igreja do século XVIII em ruínas

A renovação permite que as feridas históricas e os valores espaciais sejam vistos, sem abrir mão do uso de uma linguagem contemporânea nos novos elementos introduzidos pela restauração.

As novas áreas construídas (como os acessos verticais e os equipamentos técnicos) foram erguidas parcialmente fora do prédio principal com a intenção de preservar o espaço interior da nave. Além disso, as novas rampas e as escadas fornecem uma rota circular inusitada por toda a edificação, com uma vista incrível e diversificada.

A intervenção preserva o patrimônio histórico do edifício e, simultaneamente, adiciona a ele novos valores que destacam e singularizam a Igreja antiga de um modo contemporâneo. A iluminação artificial é feita por luminárias que interferem muito pouco no ambiente e trazem até um ar dramático a ele.

No futuro, uma fase final completará o projeto incluindo um arquivo histórico nos andares superiores do lado sul da igreja.

As imagens foram tiradas daqui.


______________

Aproveite para prestigiar a Débora no blog dela: Verdade Verdadeira

Preto, madeira e vermelho em apê masculino e sofisticado

A inspiração de hoje vem de um projeto bem masculino da arquiteta Carol Leães, que combina uma base de cores neutras – preto, branco e madeira – com cores em destaque, principalmente a vermelha. Com apenas 30 anos, Carol já se destaca na arquitetura de São Paulo e também atua na produção fotográfica de seus projetos.

Nesse apartamento localizado na Alameda Casa Branca, o preto predomina no banheiro, na sala e no quarto. Mas por ser misturado a outros elementos não deixa o ambiente ficar pesado.

Banheiro masculino e sofisticado em casa de homem solteiro

Na suíte, a combinação perfeita foi encontrada com o ofurô de madeira, que trouxe mais aconchego ao espaço. A cortina vermelha e o quadro em tom de laranja e preto ajudaram a aquecer o ambiente, e trouxeram até mesmo um ar de sensualidade, vocês não acham?

Quarto masculino com cama, parede e cabeceira preta

Além de ter ficado bonita, a cortina também dá privacidade à sala de banho, já que a porta que a separa do quarto é toda de vidro. A mesma cortina se destaca quando vista do quarto, provocando o mesmo efeito.

Pontos estratégicos de iluminação indireta, em tons de amarelo, deixam o cômodo ainda mais aconhegante. Veja que a madeira também foi usada no chão, em tábua corrida bem rústica, o que complementa essa sensação.

Na sala, o aparador negro sem pés flutua sobre a parede de tijolinhos aparentes e o chão de madeira. O vermelho se mostra no quadro e o restante dos tons é dado pelas bebidas do bar. Solução simples e classuda!

Apartamento masculino, preto e sofisticado

Os janelões do piso ao teto iluminam durante o dia mas podem ser fechados com as cortinas pretas que, em conjunto com o teto preto, conferem um aspecto teatral à cozinha e inesperadamente ampliam o ambiente. Lembram que falamos disso no post sobre o preto infinito?

O piso claro, além de delimitar a cozinha, equilibra a escuridão do preto e os spots de luz direta sobre as bancadas garantem uma iluminação adequada à noite.

Cozinha integrada à sala em tons de preto e metais deixou o apartamento sofisticado

O balcão principal faz lembrar uma ilha, já que fica bem no meio, sem qualquer ligação nas laterais.

Aqui, é o tom metálico dos eletrodomésticos que, combinados com o cinza, reforçam a sofisticação do apartamento.

Sala preta é aquecida por objetos como livros, bolas de sinuca e chão de madeira. Teto cinza, parede branca e sofá bege criam sensação de tom sobre tom

Na sala, até a mesa de sinuca é negra, e as bolinhas coloridas acabam se destacando. O mesmo efeito é obtido com os livros da estante e sobre a mesa de centro. Os quadros com fundo branco contrastam com a parede preta, assim como as poltronas Barcelona pretas na parede branca. O efeito de contrastes é repetido várias vezes, sempre de uma nova forma. A cor de concreto do teto e do sofá, entre o bege e o cinza, e o piso de madeira fecham a paleta de cores neutras.

Livros coloridos e quadros contrastam com o preto na sala

Como você acha que é o dono desse apê tão estiloso? Eu penso em alguém jovem, solteiro e, ao mesmo tempo, sofisticado e despojado, não?

Fotos: Carol Leães Arquitetura

Arquitetura: Equilíbrio entre tradicional e moderno – por Débora Foresti

O brutalismo foi um movimento na arquitetura moderna (anos 50 e 60) que explorou a idéia da construção sem acabamentos ou a verdade estrutural dos edifícios. Geralmente são prédios lineares, com uma geometria angular, que parecem fortalezas e o principal material utilizado é o concreto. Porém, o edifício pode ter suas características brutalistas através de outros materiais ou até mesmo de seus serviços (como tubos, cabos e fios) aparentes. A chamada Escola Paulista teve muita influência do brutalismo e alguns dos arquitetos representantes desse movimento são Vilanova Artigas e Paulo Mendes da Rocha. Os críticos do movimento dizem que sua aparência é fria, projetando uma atmosfera de totalitarismo e seus edifícios são geralmente ligados à deterioração urbana, já que se degradam com certa facilidade.

casa brutalista modernista

Casa Elza Berquo, projeto de Artigas (1967), um dos exemplos de arquitetura brutalista. Notem o concreto aparente da estrutura.

arquitetura brutalista industrial no museu pompidou

Centro George Pompidou, projeto de Renzo Piano e Richard Rogers (1977). Os serviços (tubos) são aparentes e este é um dos exemplos mais bacanas de brutalismo.

A residência que eu apresento hoje tem ares brutalistas, mas consegue ser acolhedora e moderna ao mesmo tempo. Mais uma vez, a grande contribuinte para que isso seja possível é a mistura de materiais. Reparem como o uso do tijolinho aparente, que é um dos métodos construtivos brasileiros mais tradicionais e a madeira quebram a rigidez do concreto exposto, que é bastante moderno (o seu uso em larga escala começou em meados do século XX).
casa de praia brutalista

3

 Além disso, a sobreposição dos volumes dá um ritmo bastante interessante ao conjunto e o telhado plano de concreto cria uma varanda para o primeiro andar. Outro elemento que chama a atenção é o volume em cima da garagem em balanço, que dá a impressão de estar flutuando no espaço. Combinado às grandes aberturas com vidro, toda a estrutura ganha uma leveza enorme, apesar dos materiais variados.
casa moderna fachada em tijolinho

4

telhado em concreto

5

No interior, uma paleta neutra de cores nas paredes e pisos é combinada com cores fortes em alguns elementos de decoração, o que dá um ar divertido para a casa. O teto da sala ganha essa textura por conta do método de construção: o concreto precisa ser “enformado” em tábuas de madeira, que deixam sua impressão – como se fosse nossa impressão digital – depois que o concreto seca. O piso em tábuas de madeira, dá continuidade e uma sensação de unidade ao espaço.
cadeiras vermelhas na sala de jantar

6

casa de praia moderna

7

Pequenas intervenções de decoração quebram a rigidez das linhas retas e das cores neutras como a bancada vermelha e curva, os azulejos hidraulicos no banheiro, a coluna e cadeiras da sala e armários da cozinha pintados em vermelho.
bancada vermelha e piso cimento branco

8

banheiro colorido

9

armarios de cozinha vermelhos e madeira

10

Eu gosto bastante dessa mistura de materiais. O concreto exposto geralmente dá um ar industrial e pesado aos ambientes, mas sabendo dosar e combinar com materiais mais leves, é uma ótima opção. O tijolinho aparente dá um ar de tradição e eu gostei bastante desse balanço entre tradicional e moderno. E vocês, gostam dessa mistura?
escultura, pedras e grama

11

casa com aspecto industrial

12

Casa Marítimo
Condomínio Marítimo, Tramandaí, RS
Construção: 2011/2012
Área: 357m2
Projeto: Seferin Arquitetura
Imagens: 1 | 2 | 3 a 12
 ______________

Aproveite para prestigiar a Débora no blog dela: Verdade Verdadeira

Cores que alegram e iluminam

Uma das tendências que a gente mais notou na Casa Cor deste ano foi a utilização do amarelo, do laranja e do dourado para iluminar os ambientes. Eles apareciam em pequenos detalhes, no piso ou em paredes inteiras com resultados que ficaram muito legais.

Arquitetas Cris Paola e Dani Barella também usaram o dourado nas pastilhas do piso do banheiro

Neste projeto de suíte presidencial, as arquitetas Cris Paola e Dani Barella usaram o dourado em combinações não muito usuais – com o prateado – e conseguiram dar vida e sofisticação extra ao quarto.

Projeto das arquitetas Cris Paola e Dani Barella para a suíte presidencial, apresentado na Casa Cor 2012Repare que a suíte poderia ter ficado escura, e até triste, se não fossem os detalhes nas almofadas, no puff, nas cortinas e no papel de parede atrás da cama.

O laranja utilizado nos desenhos geométricos do puff também ajudam a aquecer o quarto, mas sem exageros, o que não seria muito indicado para um  cômodo cujo objetivo principal é permitir que os hóspedes descansem.

Note que o dourado foi usado ainda nas pastilhas do banheiro, juntamente com tons de cinza e preto, o que deu o maior ar de sofisticação.

Na suíte Bruno Senna, do Casa Hotel, o arquiteto Allan Malouf se inspirou na paleta de cores do macacão do piloto. Os tons de cinza do cimento queimado, das paredes e prateleiras, do tapete em patchwork e das banquetas deixam o ambiente bem sóbrio e masculino, reforçado pela mesa de couro. O toque de amarelo ficou por conta do aparador que também serve de estante para DVDs e para apoiar o home theatre. Um contraste que acrescentou um quê de modernidade e vida à sala.

Projeto usou o amarelo na bancada da TV, o que deixou o ambiente sofisticado e alegre, apesar de masculino

A cor também fica legal com tons de madeira e tijolos, como no exemplo de home office que demos no post de segunda-feira, lembra?

Já a arquiteta Brunete Fracarolli fez um color block com um amarelo mais pálido no living, em um espaço que homenageou a apresentadora Sabrina Sato. O aparador, no mesmo tom que as pastilhas da parede e moldura, deixou a sala bem lúdica. E a mistura de diferentes texturas e níveis de brilho deu um movimento bem interessante à composição.

Espaço, exibido na Casa Cor 2012, levou o prêmio de mais original. Homenagem a Sabrina Sato

Convenhamos que não é o tipo de proposta que combina com qualquer estilo, mas ficou divertido. O projeto como um todo acabou ganhando o prêmio de mais original da mostra.

Na biblioteca de Clelia Regina Angelo, o laranja levantou totalmente o ambiente. A arquiteta usou a cor no tapete, mas também em um dos módulos da estante branca de linhas retas. O tom aparece sutilmente na capa de alguns livros e também nas flores do quadro, apoiado sobre o móvel de madeira. Essa distribuição da cor, tanto na horizontal quanto na vertical, faz com que o olhar percorra todo o ambiente, valorizando o conjunto e não somente um ponto de destaque.

Projeto da arquiteta Clelia Regina Angelo para o Casa Cor 2012

O studio do pianista, criado pela arquiteta Denise Barretto, ganhou vida com as luminárias pendentes sobre a bancada. O contraste das esferas em cobre, super brilhantes e em diferentes alturas, com as linhas retas e texturas foscas do restante do ambiente traz movimento e descontração para um ambiente que é pura sofisticação.

Luminária pendente de cobre deu alegria e sofisticação à cozinha, composta basicamente de cores neutras

E vocês, têm um brilho especial em casa?

Tão lindo que dá vontade de trabalhar!

Segunda-feira é dia de retomar os trabalhos, mas sempre bate aquela preguicinha. Então a gente resolveu postar aqui alguns exemplos de home office – tão lindos que podem dar mais ânimo para a gente reformular o escritório, ou até alimentar o sonho de quem pretende, um dia, trabalhar de casa…

O blog ChicTip.com listou algumas ideias de home office que são bem fáceis de se executar. O primeiro, criado pelo escritório americano Hirsch Bedner Design, ficou bem clean com a bancada de madeira branca em frente a um painel de madeira mais bruta (leia sobre paineis que escondem os fios). O tapete de couro no chão complementa o ar rústico, quebrado pela cadeira modernosa, em tom laranja.

Repare que a iluminação indireta é intensa, como deve ser em um ambiente de trabalho, mas ao mesmo tempo não é exagerada e nem faz sombra sobre a mesa – já que vem do alto e da frente.

As prateleiras são práticas porque deixam os livros bem à mão e permitem que a mesa de trabalho fique mais livre, apenas com o material que estiver sendo utilizado.

O tapete de couro e a marcenaria deram um ar sofisticado ao ambiente, juntamente com a cadeira laranja

Já a segunda foto  mostra um projeto do arquiteto Kevin Kevin Pruitt, que usou elementos como madeira (inclusive nos tacos escuros do chão), vidro e um mobiliário mais retrô, como o do buffet com pés palito, que serve de armário, e a cadeira Charles e Eames.

Note no ar de rusticidade trazido pela combinação da pedra e da madeira com o couro, que deixa o home office mais aconchegante. Sozinhos, no entanto, esses elementos poderiam ter deixado o escritório com aquela cara de antigo e pesado, o que foi quebrado pelas linhas super retas por todos os lados, a parede branquíssima e a luminária mais moderna, com aparência cromada.

Móvel com pés palito serve para armazenar livros e documentos, e cadeira Charles e Eames ajuda a dar estilo ao escritório

A terceira imagem mostra um exemplo bacana porque aproveita um espaço atrás da escada, que dificilmente seria bem utilizado. Não é a solução ideal para quem trabalha full time em casa, já que não tem gavetas, iluminação adequada e nem espaço para material de trabalho. Além disso, por ficar em uma área de passagem, acaba desconcentrando quem está trabalhando.

Mas não deixa de ser um projeto fácil, prático e barato, de um escritório também americano chamado Baldridge Architects.

Parede de vidro suporta prateleira e bancada de madeira. Aproveitamento de espaço é diferencial do escritório

O mais bonito de todos, e que serviu de inspiração para esse post, foi um que vimos lá na Casa Cor das arquitetas Agnes Manso e Alice Miglorancia. O amarelo, que está super na moda, deu um ar bem jovial e criativo ao ambiente, complementado por tijolos aparentes na parede e madeira.

Escritório ganhou ar de modernidade com bancada amarela, tijolos aparentes e madeira

Os puffs complementam o visual e a geladeirinha vermelha retrô dá mais comodidade a quem fica ali trabalhando o dia todo.

Bancada amarela, marcenaria e tijolos aparentes são complementados por geladeira retrô

Novamente, a gente percebe ali a iluminação indireta, nicho para organização de itens de escritório e muitas prateleiras (tanto na horizontal quanto na perpendicular).

Por falar em Casa Cor, lembra que nosso concurso cultural que está dando um par de ingressos para uma visita ao Casa Talento e às outras exibições termina amanhã à meia-noite. Quem ganhar vai assistir a um desfile do estilista Arnaldo Ventura. Tá imperdível! Vem aqui e participa!

Preto infinito

Todo mundo sabe que preto é sexy, sofisticado e universal. Mas não é desse preto que estou falando. Estou falando daquele preto profundo, efeito buraco negro, sabe? O preto que não se percebe, que não não tem limites, que leva ao infinito.

sala moderna

1. Nem parece que tem um teto aqui, é isso que eu chamo de preto infinito, o preto que a gente nem vê.

home theater preto e branco

2. A mesma sala vista por outro ângulo. A iluminação natural é ótima e tira proveito do branco no piso, nas paredes e móveis, dando leveza. Aí vem o fundo preto do canto da TV, que parece tão distante, profundo, infinito…

parede preta na cozinha

3. As prateleiras brancas flutuam numa parede que parece não existir. Para conseguir esse efeito de infinito é importante observar que o ideal é que a superfície seja lisa e o acabamento fosco. E também evite a incidência de luz direta ou sombras.

bancada e parede de cozinha preta

4. Novas cores aparecem na superfície preta quando ela reflete a luz recebida diretamente, como você pode ver na parede ao fundo nesta cozinha. As texturas, como a de alto relevo nesta bancada, também “entregam” que aquele preto não é infinito formando sombras. Agora veja os armários à direita, sem incidência de luz direta: parecem lá loooooonge… mas o frontão brilhante reflete tudo e entrega a posição exata da parede.

cama preta

5. Uma paredona preta no quarto para você se sentir flutuando no universo, já pensou?

quarto feminino

6. A falta de limites claros também ajuda nesse efeito. Neste quarto o piso preto dificulta perceber onde acaba o piso e começa a parede. E a penteadeira azul flutua nesse espaço indefinido.

piso preto com tapete bege

7. Todas as paredes e o piso são pretos, mas isso não significa que a sala não possa ser ampla. Um tapete claro, móveis brancos e espaços vazios criam um tipo de oásis de luz.

sala branca com tapete preto

8. O contrário também é super interessante: uma sala toda clarinha e um tapete preto fazendo tudo flutuar. Adoro!

Quer ver mais do preto na decoração? Tem um post aqui só do “Pretinho Básico”.

E tem medo porque seu ambiente é pequeno? Esquece, dá uma olhada no post de dicas para apartamentos pequenos e abuse do preto!

Imagens: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8

Decoração com Color Block

Agora que o Color Block está em todos os lugares, todo mundo se rendendo ou tentando tomar coragem para usar uma saia roxa com uma blusa amarela, eu venho de mansinho pra mostrar que Color Block também tem tudo a ver com decoração. E ninguém vai ficar te olhando na rua e te deixar insegura 😉

O Color Block é o uso de cores em bloco em uma mesma composição, geralmente cores bem vibrantes.

Para ousar com menos medo, é bom relembrar o círculo cromático e a teoria das cores, que falamos AQUI, para saber os contrastes mais fortes, as combinações mais harmônicas, etc. Vai lá que eu te espero 😉

Só cores primárias: vermelho, azul e amarela

Totalmente Miró, a combinação é moderna e alegre.

cor de cortina

1. Tem uma sala toda neutrinha e não quer mudar o estofado? Cortina em várias peças de cores diferentes, de um tecido leve e transparente, transmitem muita alegria sem pesar o ambiente. De um lado as cores primárias: azul, amarelo e vermelho, e o branco separa as secundárias: laranja e verde.

sala azul

2. Só cores primárias, uma tríade de contrastes perfeitos, super Miró. As linhas retas e modernas arrematam o ambiente com sofisticação.

3. Mais simples ainda é pintar duas paredes, cansou é só pintar de outra cor depois. O amarelo super vibrante se equilibra com o azul mais tranquilo, o resultado é uma sala cheia de vida.

4. O lavabo é um ótimo lugar para brincar com cores e não enjoar!

Super contrastes

decoracao roxo

5. Quem acompanha o blog há mais tempo já conhece esta foto. O contraste entre cores complementares é o maior de todos, uma combinação que sempre dá certo.

parede amarela, sofa vermelho

6. O sofá vermelho sozinho fica aconchegante, com as cadeiras verdes (cor complementar do vermelho) já dá uma levantada no astral, com a parede amarela, então, é só alegria.

parede azul, mesa saarinen branca, cadeiras eames laranja

7. Azul e laranja são complementares também, um contraste lindo. A suavidade do azul manteve a sala de jantar mais aconchegante, sem abrir mão de cores contrastantes..

sofa vermelho poltrona laranja

8. Cores próximas, como o vermelho e o laranja, transmitem sensações parecidas e minimizam o contraste entre si.

sofa branco moderno

9. Tons de roxo, lilás e rosa enchem de cor e, ao mesmo tempo, deixam tudo bem tranquilo. Está sem paciência de pintar paredes e não quer investir muito? Almofadas e pufes numa sala neutram também fazem um bom efeito!

Imagens: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9