Conheça o Fasano de Porto Feliz, por Isay Weinfeld

Hoje a gente trouxe pra vocês um projeto incrível do arquiteto paulista Isay Weinfeld, erguido a 100 km de São Paulo. Trata-se do Hotel Fasano Boa Vista, em Porto Feliz. Construído em um complexo de 750 hectares, o hotel foi projetado de frente para um lago e, apesar de ser contemporâneo, guarda várias características do modernismo.

Construído de frente para o Lago, hotel usa madeira, pedras e vidro

Hotel, com características modernistas, foi construído todo na horizontal

Pra começar, sua estrutura é toda horizontalizada. Composto por duas asas simétricas, sendo uma levemente côncava e a outra sutilmente convexa, a base do Fasano é feita da combinação de vigas de madeira, vidro e pedra.

Hotel horizontam com madeira, pedras e cimento

Duas asas em torno da recepção abrigam os quartos

O pé direito de todos os ambientes é altíssimo, o que amplia a sensação de grandiosidade. Em seu interior, o chão é construído em madeira de perobinha e tanto as paredes quanto o teto são feitos de freijó.

Veja que a mistura da madeira com as pedras nas paredes é o ponto alto da construção. No mobiliário das áreas em comum, o arquiteto optou por peças atemporais, e o grande charme é a lareira que desce do teto e alcança a todos no espaço, com cobertura de 360 graus.

Lareira, móveis de design e vidros compõem o ambiente

Na área em comum, uma lareira que desce do teto e aquece 360 graus

Os quartos, que ficam dos lados direito e esquerdo da recepção, têm dois andares, sendo em cima o dormitório e embaixo a sala. Cada um deles é claramente delimitado e afastado do outro, como se fosse uma caixa individual.

cabeceira acolchoada, banquetas de couro e iluminação aquecem o quarto

Quartos do Fasano são delimitados pela alvenaria. A sensação é que cada um está em uma caixa

A vista para o lago é um convite para sair à varanda. Note que com um cenário desses o arquiteto não precisou se preocupar tanto com a decoração. Poucos e bem escolhidos móveis são suficientes para ocupar o espaço, juntamente com as paredes forradas com freijó.

Hotel do arquiteto Isay Weinfeld em Porto Feliz

No quarto, pé direito alto dá sensação de amplitude, enquanto cabeceira acolchoada, banquetas de couro e tapete aquecem o ambiente

Quero muito conhecer! E vocês?

Fotos: Divulgação

Antigo palácio português vira hostel descolado em Lisboa

Já se foi o tempo em que o hostel era uma opção de hospedagem econômica, mas sem glamour. Hoje em dia, há vários albergues bem charmosos com diárias super em conta, e que investem em design e soluções fáceis e descoladas.

Hostel tem decoração Art Decó e mobiliário vintage

O The Independente, em Lisboa, é um bom exemplo disso. Convictos de que era possível reunir diferentes culturas com as histórias locais, três irmãos mochileiros se reuniram e reformaram um antigo palácio pertencente à realeza, que tem arquitetura típica portuguesa e decoração em Art Déco.

Móveis antigos, portas francesas e chão antigo quadriculado foi preservado e fazem contraste com parede vermelha

Na entrada principal, o visitante já se convence de que está em um lugar especial ao se deparar com um salão de pé direito alto, portas grandes de madeira, cadeiras antigas de couro, chão quadriculado e parede bem vermelha, que deixa o ambiente mais descolado.

O Art Déco aparece nos detalhes do teto e das luminárias. Na estante de madeira antiga e arredondada, um relógio antigo dá o toque especial.

Além disso, se mostra nas escadas que levam ao piso dos apartamentos.

Camas em madeira e luminárias de ferro em formato de lâmpada modernizam quarto

As janelas amplas deixam os quartos e a sala mais iluminados e arejados, e a sensação de conforto é maior. O piso original de madeira foi preservado, assim como molduras, candeeiros e portas francesas.

Veja que as camas são feitas de madeira de reflorestamento, que parece aquela utilizada em caixotes de feira, e têm um desenho bem interessante, com escadas laterais de um pé só, economizando espaço. As luminárias em formato de lâmpada, ao lado de cada cama, arrematam o visual mais ousado causando um baita contraste com todo o entorno, deixando o quarto bem moderno.

estante de madeira desgastada, máquinha de escrever e luminária antiga

Objetivos vintage compõem decoração da suíte

Nas quatro suítes mais privativas, reservadas para casais, peças retrô também marcam a decoração e se opõem à jovialidade trazida pelo uso da arara para pendurar as roupas. As varandas dão para uma linda vista do rio Tejo.

Nas áreas em comum, como o pátio, preste atenção nos azulejos portugueses na parede.

Já no restaurante “Decadente”, nome que não faz jus ao decor, a opção foi pelo mobiliário “vintage”.

E aí, já definiu o destino de sua próxima viagem?

Lords South Beach: uma decoração pro verão ficar com ciúmes

Eu ando com muitas saudades do verão, louca pra pegar uma praia e tirar o mofo desse inverno. Aí dou de cara com as fotos do Lords, é uma sacanagem!

sala colorida em azul e amarelo

Janelas amplas deixam o sol entrar, paredes bem brancas o deixam ficar. O amarelo enche de energia e o resultado é um ambiente recheado de luz. A mistura do azul (cor do céu e do mar) com o amarelo (cor do sol e da areia) remete quase que automaticamente ao espírito de verão. As listras me lembram muito a praia, não sei ao certo se por causa dos guarda-sóis ou dos shortinhos de antigamente. Mas o conjunto com o zigzag azul sai do previsível, enche o ambiente de movimento e traz ainda mais energia.

quadro colorido no quarto de hotel boutique lords south beach miami

Quem disse que os quartos precisam ser em tons pastéis? Acordaria cedinho aqui, pularia da cama doida para ir correndo tomar um banho de mar.

bar amarelo, restaurante amarelo e bar dourado do hotel lords south beach miami

As áreas de refeições continuam com bastante amarelo, mantendo o nível de energia do restante do hotel. Mas o bar Cha Cha fez uma “releitura” do amarelo para o noite: pastilhas douradas em toda a parede e bancada.

sofa curvo amarelo com almofadas coloridas

A recepção já é mais colorida, sensual, bem aconchegante. O Lords se diz o primeiro Hotel Boutique gay dos Estados Unidos e seu slogan é, em tradução livre, “um hotel apropriadamente orientado” – um jogo de palavras com um quê de ironia.   E, por falar em ironia, um enorme urso polar segurando uma bola de praia é o destaque da recepção do hotel.

urso polar com bola de praia

E aí, que mensagem o hotel te passa? Pra mim ele diz: “venha!” 😉

Hotéis que são verdadeiras galerias de arte

Já pensou em se hospedar em um hotel que é uma verdadeira galeria de arte? Uma rede europeia superdescolada chamada art’otel (assim mesmo, em letras minúsculas e sem o “h”) faz com que a gente tenha essa sensação, dormindo e tomando o café da manhã em meio a obras de Andy Warhol, esculturas e instalações de Wolf Vostell e de outros artistas.

Ao todo, são seis hotéis situados em Berlim, Dresden, Munique, Colônia e Budapeste. As obras, todas de artistas que se consagraram após 1945, foram pensadas ou adquiridas especialmente para cada uma das unidades do grupo, e ficam expostas em ambientes criados por arquitetos e designers de interiores.

Assim dá até mais vontade de viajar, não?

Em Berlim, o Central Berlin Hotel apresenta obras de Andy Warhol.

Em Berlim, hotel da rede art'hotel abriga obras de Andy Warhol

Com o fundo branco, quadro do artista serve como cabeceira da cama e dá mais movimento ao quarto, todo branco com detalhes em vermelho

O hotel fica pertinho da Ku’damm, considerada a maior loja do mundo. Se estiver por ali, aproveite e conheça o sexto e o sétimo andares do shopping, voltados para alimentação. Cada ilha é destinada a um tipo específico de iguarias, como lagostas, ostras e camarões.

Também em Berlim, o grupo tem um outro hotel perto da Ku’damm, o By Park Plaza. Ali, o turista se hospeda em meio a obras originais do artista Wolf Vostell, incluindo litografias assinadas, esculturas e quadros.

Escultura de Wolf Vostell: cada unidade da rede art'hotel homenageia um artista e hóspedes ficam em meio a galerias de arte

Obra do artista Wolf Vostell ganha destaque no bar no hotel, todo em branco, para não ofuscar a peça. Repare na iluminação do balcão, que dá toque de modernidade ao ambiente

Em Colônia, os quartos foram construídos inspirados nas obras da artista coreana Seo.

Quarto branco com detalhes em vermelho permitem que obras de arte se valorizem

Novamente, a estrela do quarto é o quadro da artista. As cores branco e vermelho, bem neutras, permitem que a obra se destaque na decoração

Já em Dresden, o homenageado é o alemão A.R. Penck, artista local que ganhou projeção no mundo todo com seus quadros, desenhos e esculturas.

Escultura do alemão A.R. Penck fica em local privilegiado do hotel. A sacada tem uma linda vista para a cidade de Dresden e obra parece estar guardando o visual

Budapeste, na Hungria, é a única cidade a hospedar um hotel do grupo fora da Alemanha. O hotel tem mais de 600 trabalhos originais do americano contemporâneo Donald Sultan.

Loggy do hotel em Budapest, que mescla arte e design na decoração

Donald Sultan é a inspiração do hotel do grupo em Budapeste, na Hungria. Gravuras enfeitam o lobby e fazem turista se sentir em verdadeira galeria de arte

Fotos: art’otel

Hotel Seven Paris

Faz tempo que não mostro um hotel bacana pra vocês e estou tão precisando de férias que resolvi me hospedar virtualmente. Em Paris. Baita inspiração.

O mais bacana deste hotel, na minha opinião, é um trabalho de iluminação excepcional e criativo. Reparem.

fachada de hotel

A fachada já indica que é um hotel moderno. As luminárias são círculos ou flores sobre lâmpadas de led, fazendo uma iluminação suave e indireta, sendo também decorativas.

sofa rosa com almofadas

Sofás com costas bem altas, um luxo. As almofadas coloridas trazem um pouco de aconchego e a iluminação muda a cara de tudo com um simples toque.

Pontinhos de led no espelho e o reflexo das luminárias fazem o ambiente parecer infinito. As costas altas dos sofás e poltronas aqui ajudam a manter a privacidade de cada grupinho batendo papo. Quem quer paquerar vai pros banquinhos 😉

cadeiras estofadas

Na mesma linha dos sofás, as cadeiras são estofadas com tecido aveludado. As cortinas pesadas e volumosas deixam tudo mais aconchegante.

Subindo para os quartos, a gente continua se surpreendendo.

entrada dos quartos

Nos corredores do hotel você vê as portas iluminadas, bem high tech, né?

Aí os quartos são super especiais, alguns são temáticos, mas os básicos já são de babar.

Este é o quarto "Levitation". Um conceito muito bem aplicado, transmitindo exatamente o que se propõe.

E tem quarto temático até do 007, com luminária em forma de arma e tudo. Mas fiz uma seleção de ideias que achei mais bacanas.

quarto com lareira

Que vontade de ter uma lareira a gás no quarto para os dias frios - sim, eu consigo pensar nisso enquanto tá essa lua lá fora. E interruptores do meu lado para minha cachorrinha não comer os fios do carregador do celular - já perdi 3 assim...

parede iluminada

Um dos quartos é todinho branco, com linhas curvas suaves. O sofá, as mesinhas e até o teto seguem a mesma linguagem, tudo super consistente.

banheiro moderno

Amei esta banheira estampada em pele de vaca. Original e bem humorada, em um banheiro elegante. Os banquinhos dão um apoio bem prático.

Outro banheiro criativo tem um tabuleiro de xadrez para distrair. O único problema é que pressupõe-se que duas pessoas vão jogar, AO MESMO TEMPO. Isso pra mim é beeeem estranho, o que você diz?

Imagens: Seven Hotel Paris

Hotel Design – The Levante Parliament – Viena

Tenho que confessar que depois da minha empolgação com o Hotel Auersperg, em Salzburg, fiquei um pouco decepcionada com o The Levante Parliament em Viena. Ele é lindo, super especial, mas peca pelo foco somente em estética deixando, algumas vezes, a funcionalidade de lado. E design de interiores não é só arte, é também função.

Esta é a recepção do hotel, super simples, em tons de bege e marrom, tudo com muito bom gosto. Por todo o hotel estão espalhadas esculturas em vidro vermelho (do artista Ioan Nemtoi) dando um toque de cor nos ambientes quase monocromáticos.

Este é o corredor entre a entrada do prédio e a recepção. Não sei se alguém senta nesses banquinhos, mas achei bonitinha a combinação de almofadas com o bege.

Este é o corredor entre a entrada do prédio e a recepção. Não sei se alguém senta nesses banquinhos, mas achei bonitinha a combinação de almofadas de tecidos coloridos "esquentando" a pedra bege.

Esta era a cama do meu quarto. Adoro essa combinação de marrom com laranja e achei uma boa ideia a cabeceira dupla. Aliás nesse friso ao redor do painel de madeira escura tem um tubinho de leds, achei meio cara de motel...

O quarto tem uma escrivaninha de madeira, que também guarda o frigobar, naquele esquema de colar a porta do frigobar na porta do móvel. Reparem como o quarto é pequenininho, a poltrona, apesar de bonita, fica espremida em um canto e atrapalha a passagem.

A combinação de cortinas era muito equilibrada com o resto do quarto. O voal de proteção branquinho, uma cortina blecaute marrom escura e uma quase dourada como decoração. Claro que o pé direito mais alto dá ainda mais impacto. Olhe como as cores das cortinas repetem as do resto do quarto.

Ainda no quarto, dois detalhes interessantes: uma é a fotografia da bailarina. Trata-se de uma série de fotografias especialmente feitas para o hotel, por Kurt Themesslassim. São lindas. O outro detalhe é a janelinha para o banheiro, bem de frente para a bacia sanitária. Claro que tem uma cortina (elétrica, por sinal) para dar privacidade quando necessário. Na prática, fechamos essa janelinha e não abrimos mais.

Aqui uma solução que eu gostei: o secador fica na gaveta e a tomada também. Fica escondidinho e não precisa ficar enrolando e desenrolando fio.

O banheiro seguia os mesmos tons de bege do resto do hotel. Acho bonita a escadinha para pendurar toalhas, apesar de não ser a última novidade. Agora o maior absurdo (que infelizmente não tenho a melhor foto para mostrar) é o box. Ele está à esquerda e a porta abre para fora. Isso significa que a porta empurra o tapete quando você sai do banho. Inteligente, não?!?!

Agora olha a vista da minha janela: o jardim central do hotel, onde fica o restaurante. Uma delícia. Eu tomava café da manhã nesse "puxadinho" de vidro porque o tempo não colaborou muito...

O restaurante segue a mesma paleta de cores e os mesmos materiais. Aqui ficam as esculturas de vidro mais bonitas - são essas divisórias vermelhas.

Enfim, linda decoração com peças de arte, madeira escura, tecidos sedosos e vidro nas cores marrom, bege, laranja e vermelho. Consistente, bonito e moderno. Mas esperava mais inovação e ousadia de um Hotel Design… concorda?

Quarto do Hotel Auersperg – Salzburg

Estamos na nossa terceira lua de mel e resolvemos ficar em hotéis modernos, que tem mais a nossa cara. Agora estamos em Salzburg e hospedados no Hotel Auersperg. O hotel não tem nada de mais, é arrumadinho, mas o quarto é lindo, lindo, lindo. Realmente me senti em casa, e não num hotel mega comercial.

Tem algumas coisas que fazem desse quarto especial. Uma delas é que é um quarto super simples, de tecidos leves, piso de madeira, nada de carpetes nem cores escuras, o que daria aquela cara típica de escritório ou de hotel.

A cama de casal é simples e deliciosa, cheia de travesseiros, colcha fofinha... A cortina de linho, protegida do sol por voil branco, traz ainda mais classe e leveza para o quarto.

Sim, esse é meu marido, lendo no sofá do quarto. O piso de madeira clara é lindo, com cara de casa de verdade, sem carpetes pesados. À esquerda um cantinho para trabalhar, detalhe: numa cadeira Eames.

mesinha de cabeceira

A solução de colocar duas prateleiras como mesinha de cabeceira é super simples e barata, e fica leve e bonita, só não precisava de tanto fio enrolado do telefone.

Outro bom motivo para se encantar com este quarto foram as soluções de design – simples, funcionais e bonitas.

À esquerda, a porta de entrada e o armário, refletidos no espelho. À direita, um cantinho de comes e bebes - cafeteira Nespresso, bule para chá e frigobar, que está embutido na porta inferior, estampada com uma foto e a frase "This is the way to the bar" (este é o caminho para o bar).

Repare na foto acima a faixa de vidro que percorre o alto da parede. Do outro lado está o banheiro. Adorei a forma que utilizaram para dividir os ambientes. O vidro deixa passar a luz e dá uma sensação de espaço maior, se aproveitando do pé direito. Você consegue imaginar se fosse parede branca? Ou se a madeira continuasse até o teto?

Uma tira de plástico grudada pelo lado de fora da porta do frigobar está parafusada na porta do móvel, facilitando a vida do hóspede.

tipos de chas e cafes

Um carinho com o hóspede essa gaveta de diferentes tipos de chás e cafés, cada um no seu espaço.

No projeto original da minha casa quis fazer isso: encaixar a TV em um nicho na parede e usar um suporte com braços móveis para posicioná-la quando fosse necessário.

nicho para som e livros

O nicho amarelo é iluminado e guarda os livros que o hotel nos empresta, além de um som com entrada para iPod na primeira prateleira, que tem um fundo falso escondendo os fios do som.

As embalagens dos produtos de higiene são umas coisinhas, super charmosas. A do sabonete é só um papel de seda enrolado em volta dele. Aliás quero muito um monte desses sabonetinhos, com uma estampa de "SOAP" em baixo relevo, para colocar no meu lavabo.

frase na parede

No box uma frase em alto relevo, convidando para o relaxamento.

E, não menos importante, você tem a certeza de que está em um lugar que cumpre sua função – servir o hóspede e fazê-lo se sentir bem. Desde pequenos mimos como um CD com uma seleção de músicas clássicas, os livros e BluRays disponíveis no quarto e na recepção, aquecedor de piso no banheiro, duas duchas no box (aliás, três, porque você pode escolher entre um chuveirão e um chuveiro normal em um dos lados)… dá pra ver que tudo foi feito tendo em mente o bem estar do hóspede. Aliás, não fosse o wireless de tão boa qualidade, incluído na diária, vocês iam demorar para ver essas fotos…

Gostou? Compartilhe! E fique aqui quando vier pra Salzburg, vale a pena, mesmo! E olha que eles nem sabem que eu estou escrevendo este post…

Hotel Intercontinental Montréal – Decoração Vitoriana

Como falei na semana passada, fiquei hospedada em um hotel bem bacana em Montreal – o Intercontinental. O edifício era a casa de Nordheimer, fabricante de pianos no início do século XX, e foi totalmente restaurado.

Esta é a fachada do Hotel, de frente para uma pracinha gostosa.

A herança da era Vitoriana foi lindamente aproveitada: madeiras e tecidos luxuosos, pisos e tetos artisticamente decorados e mosaicos célticos.

Esta é a parte mais histórica do hotel, você se sente realmente num palácio.

teto de gesso

E aqui o teto do ambiente anterior, cheio de detalhes trabalhados em baixo relevo. A luminária é uma antiguidade.

Mas a decoração dos quartos e demais ambientes utilizou o estilo Vitoriano como inspiração para um design bem moderno.

As linhas rebuscadas ficaram mais limpas e sinuosas. O tapete redondo tem tudo a ver com o resto do ambiente.

mesinha moderna

A mesa de centro num formato orgânico conversa com os sofás aveludados que parecem te abraçar. As almofadas de seda e bordadas, um luxo. Repare na mesinha de madeira, com um pé todo trabalhado. Total releitura moderna do estilo Vitoriano.

Na recepção, blocos luminosos fazem as vezes de parede esculpida.

No caminho para o elevador, uma parede de madeira coberta de retratos estampados em pratos. Nada mais moderno. E a luminária lembra os grandes lustres de cristais.

porta casaco

A entrada do restaurante tem uma parede divertida, pronta para segurar seu casaco, literalmente.

Mas o interior do restaurante volta para a as luminárias de cristais, muitos, lindos e coloridos

O bar ao lado do restaurante é sensacional. Olha essa salinha quase particular. Uma destas tem até cortina para garantir mais privacidade. As costas altas das cadeiras e as paredes em capitonê de seda reforçam o conceito.

circulos

Além das luminárias mais clássicas, o hotel está recheado de luminárias como esta, super moderna e com linhas circulares.

Nos corredores, o tapete mantém a linguagem de curvas abstratas, quase florais.

E finalmente o quarto. Cortina pesada, carpete fofinho, e a cor vinho mantêm a linha de design do restante do hotel. Repare na importância que foi dada à parede da cabeceira, a simetria entre os criados e o uso de abajures para dar um clima mais romântico. A cama é super alta, com cabeceira acolchoada de couro branco, fazendo par com o banco.

Aqui alguns detalhes importantes. O papel de parede era todo texturizado, com algum brilho, dando ainda mais charme ao luxuoso apartamento. A luminária de leitura é discreta, super funcional mas sem atrapalhar a proposta visual do restante do ambiente. E o acolchoado da cabeceira é de capitonê - luxo de novo.

Outro detalhe que eu adorei foi o pé do abajur, com tomada embutida. Atende às necessidades modernas sem comprometer o ar Vitoriano.

Resumindo, adorei a decoração deste hotel. O conceito proposto é muito interessante e conseguiram executá-lo muito bem. Fazer um hotel Vitoriano e ao mesmo tempo moderno não é tarefa fácil.

Hotel Intercontinental Montréal

Add to Facebook Add to Twitter

Hotel Design – Puerta América Madrid

Estava com saudades de mostrar ambientes de design mais arrojados. Escolhi um hotel em que cada andar foi projetado por um designer diferente – o Puerta América. Tem Ron Arad, Zaha Hadid, Plasma Studio e muitos mais.

Tudo já começa na garagem, projetada por Teresa Sapey.

parede amarela com adesivo

O uso de cores e grafismos dá vida a um ambiente geralmente negligenciado esteticamente. As figuras são compostas por trechos do poema Libertad, inspiração da designer para o ambiente.

corrimão criativo

A escada que leva ao térreo fica longe do comum, super colorida e reforçando o conceito de liberdade que começou na garagem.

teto vermelho

A recepção do hotel também abraça o hóspede que chega pelo térreo com design.

parede trabalhada em madeira

John Pawson teve sucesso ao criar um lobby que fosse neutro e relaxante. O semi-círculo de madeira separa a recepção do hotel dos demais ambientes que os hóspedes utilizam em pequenos encontros e reuniões.

pedra e agua

A água que corre sobre a pedra dá o ritmo do ambiente. Eu ficaria conversando por horas aqui...

Agora vamos pegar o elevador e conhecer os andares – todos diferentes, já pensou?

corredor de hotel

Este corredor é no sétimo andar, de Ron Arad. As indicações dos quartos parecem escritas a mão, contrastando com o ar futurista da iluminação.

corredor vermelho

Um andar abaixo, Mark Newson usou laca vermelha para acolher os hóspedes.

ilusao de otica decoracao

O Plasma Studio usa o aço inox para promover uma experiência única no quarto andar. Imagine procurar a porta do seu quarto em um lugar que te provoca a repensar o espaço e as três dimensões.

Assim como os corredores, cada quarto também tem sua personalidade. É muito interessante ver como é possível fazer ambientes completamente diferentes com a mesma planta baixa.

cadeira vermelha

Victorio & Lucchino se inspiraram na moda para criar um quarto luxuoso e confortável. O piso preto destaca ainda mais a cama e as cadeiras vermelhas. A pintura colorida enche o ambiente de movimento...

cortina bege

... A sala é aconchegante - rodeada por cortinas volumosas, sofá e poltronas de tecidos sedosos e iluminação indireta. A pintura colorida e os toques de vermelho mantem a linguagem do quarto.

tapete roxo e rosa

A mesma sala decorada por Ron Arad. Outro clima. Ele se aproveita do formato da fachada para abusar das curvas sinuosas. O tapete super colorido também segue as curvas do ambiente - tanto na estampa quanto no seu formato...

paredes curvas

... E as curvas continuam ao redor da cama, abrigando uma mesinha de trabalho em um lugar pouco esperado. O branco une os ambientes minimalistas - piso, paredes e iluminação.

poltrona amarela

A mesma sala agora projetada por Javier Mariscal e Fernando Salas. A persiana vertical esfria o ambiente com poltronas e sofá modernos, com textura quase irreal. O tapete fofo ameniza o ar comercial e o piso completa um jogo de cores muito interessante.

E muitos e muitos outros ambientes nos 12 andares do hotel. Eu passaria quinze dias aqui, um em cada andar, com direito a repetir o quarto preferido. Dá uma passeada no site deles e me conta o seu favorito?

Imagens:

Hotel Puerta América

Add to Facebook Add to Twitter

 

Inspiração na Capadócia

Estou com uma encomenda de pesquisa que me fez explorar algumas imagens da Capadócia, região da Turquia. Já foi ou ouviu falar? Fiquei encantada, morrendo de vontade de conhecer pessoalmente, mas enquanto isso não acontece, compartilho com vocês o que aprendi.

A região tem uma formação geológica interessante. Rochas vulcânicas que foram esculpidas por ventos e chuvas durante milhões de anos resultaram nessa paisagem única. {PVV}

Formação de planaltos sedimentares. Olhe as diferentes cores da rocha. {PVV}

E nesses "picos" que parecem feitos de marshmellow, a partir do século III, foram escavadas casas dentro das rochas. {Unesco}

A Capadócia é um Patrimônio da Humanidade, protegida pela UNESCO. Além de suas lindas paisagens, o significado histórico e cultural da região é bastante valioso. Imagine o que significa estar no centro da atual Turquia. Essa região já fez parte dos Impérios Persa, Romano, Bizantino e Otomano, viu Alexandre O Grande e Gengis Khan passarem por lá, já se entenderam e se desentenderam com a Armênia, com os árabes, mongóis e gregos. Você deve respirar história, mesmo.

Um dos motivos para construção dessas cidades dentro das rochas era justamente para se esconder dos inimigos. Você os encontraria? {PVV}

Clara influência da arquitetura greco-romana, nos arcos e colunas construídos séculos depois. {Gamirasu}

Hoje em dia, várias dessas casas foram reformuladas para abrigar hotéis luxuosos.

A fachada do hotel Yunak Evleri. {Yunak}

Os quartos continuam sendo cavernas dos séculos III e IV…

... mas com o conforto que os ocidentais de hoje valorizam, mesmo. {Yunak}

Fiquei encantada de ver os ambientes do hotel. O desenho natural da pedra nas paredes parece arte. O teto em um formato pouco convencional faz cair a ficha que não se trata de uma construção de tijolos de pedra, mas de um buraco dentro dela. Mas as linhas suaves e a iluminação indireta amarelada ajudam a relaxar.

Existem quartos mais quadrados, mas que mantem a delicadeza de detalhes esculpidos na pedra. Viu o teto? {Yunak}

Eles conseguiram unir a experiência de viver em uma dessas cavernas ao conforto que estamos acostumados, sem estragar o visual. Os pisos são de tábua corrida, não brigando com os tons das pedras. Os armários e nichos, provavelmente modernos, foram cuidadosamente esculpidos na rocha também.

Mesmo as áreas construídas posteriormente mantiveram a paleta de cores e textura da paisagem - pedra. {Yunak}

E para a decoração dos ambientes, várias obras de arte do estilo Otomano. Conhece? Ele data do meio do século XVI, no auge do poder e da prosperidade do Império Otomano.

Porcelanas com motivos otomanos. {Yunak}

Os ornamentos otomanos frequentemente apresentam padrões abstratos ou de flores e plantas, nunca pessoas.

Flores em porcelana. {vam}

O padrão de três círculos formando um triângulo e as ondas eram muito utilizados na Ásia. A combinação dos dois é conhecida como "Big Cats" e representam as pintas dos leopardos e o rajado dos tigres. Os otomanos utilizavam somente como padrões visuais, já que sua arte não costumava mostrar pessoas e animais. {vam}

Muita cultura num lugar só, ai que vontade…

Fontes e Imagens:

UNESCO

PVV – onde encontrei um excelente fotógrafo: B.C. Tørrissen

Gamirasu Hotel

Yunak Evleri Hotel

Vam