Uma casa de campo minimalista

Uma casa no campo não precisa necessariamente ter uma decoração antiga e tradicional. Esse projeto de arquitetura em uma fazenda da África do Sul é encantador justamente porque consegue fugir do lugar comum e criar ambientes inovadores a partir da mistura do rústico com o clean. Parece contraditório, né?

casa de campo contemporânea

A ideia dos proprietários era construir um pavilhão, no alto de uma montanha e separado da casa principal, onde pudessem relaxar, se divertir e ainda hospedar amigos e parentes.

No deck construído do lado de fora, o futton com almofadas é perfeito para as duas coisas. Ali é possível tanto se deitar para ler um livro e apreciar a paisagem quanto para reunir pessoas queridas para um bate-papo. A ideia do tacho com fogo, uma espécie de lareira portátil, é também muito interessante para aquecer os dias mais frios. As duas cadeiras grandes têm um design lindo e parecem ser super confortáveis.

Piscina interna

A piscina que corre na lateral da sala chama a atenção. Ela fica praticamente dentro de casa e pode ser usada nos dias mais frios, porque é fechada com paredes e teto de vidro. O vidro possibilita a entrada de luz e calor. O destaque fica por conta da parede de terra prensada, chamada no Brasil de taipa de pilão. Para dar esse ar rústico e natural ao projeto, os arquitetos usaram o material em vários ambientes.

banheiro de fazenda

Veja como fica a parede de taipa de pilão no banheiro. A tora de madeira foi usada como aparador e o chão de cimento queimado também traz um ar de rusticidade ao ambiente. Aqui o contraste é trabalhado com a pia e a banheira brancas, ambas com design clean e minimalista.

cozinha minimalista

Minimalismo também na cozinha – branca, toda em linhas retas e acabamento liso e brilhante. Nem puxadores dos armários você vê. O contraste com as vigas e as paredes de madeira traz um efeito bem interessante.

Quarto com dois ambientes

O quarto único é dividido em dois ambientes. As paredes de vidro permitem que os proprietários apreciem a paisagem. Na parede que serve de suporte à cama, a imagem das montanhas da África do Sul simula uma paisagem.

Paredes de vidro, misturar vidro com madeira, árvore dentro de casa.

Uma árvore cresce no meio da sala de jantar e atravessa o teto. A mesa e os bancos de madeira seguem essa ideia de uma casa natural. As paredes também são de vidro, o que garante um ambiente naturalmente iluminado. As cores ficam por conta de pequenos objetos e de uma linda colcha cobrindo um dos bancos.

Você acha que esta é uma casa minimalista ou rústica? Projeto inspirador, não? Encontramos aqui.

Curvas e fluidez em parque temático da Porsche

A nossa colaboradora Débora Foresti está de olho em tudo de bacana que rola lá na Europa. Dessa vez, ela trouxe pra gente os detalhes de um parque temático feito pelo escritório alemão Henn, e que abriga alguns carros da marca Porsche.

Por Débora Foresti

O escritório de arquitetura alemão Henn criou esse pavilhão de linhas simples e orgânicas. Com seu telhado de aço curvo, a construção abriga alguns carros da marca Porsche, no parque temático Autostadt em Wolfsburg, na Alemanha.

parque temático Autostadt, com carros da Porsche, na Alemanha

A beleza desse projeto é inegável. Sua estrutura, em um balanço de 25 metros sobre o “rio” que serpenteia o parque é, sem dúvida alguma, impressionante! Suas linhas curvas e suas dobras estimulantes tornam o pavilhão uma escultura dinâmica, com formas derivadas da imagem da marca Porsche.

Pavilhão da Porsche, construído pelo escritório alemão de arquitetura Henn

Estrutura de 25 metros margeia rio do parque Autostadt, na Alemanha

Do modo que foi projetada pelo escritório Henn, a estrutura captura o fluxo dinâmico do ato de dirigir, e o olhar do visitante acompanha cada curva em looping infinito. O revestimento, em aço inoxidável, forma o envelope vibrante do prédio dando a impressão de uma unidade homogênea. Mas também cria uma aparência de constante mudança por refletir as condições do clima e da luz ao seu redor.

 Estrutura foi projetada pelo escritório Henn

Embaixo da estrutura em balanço, forma-se um espaço externo coberto que é visualmente conectado à paisagem circundante. Ao mesmo tempo, compõe sua própria caixa acústica e tem capacidade para algumas centenas de convidados.

parque temático Autostadt, com carros da Porsche, na Alemanha, foi projetado pelo escritório Henn

Arquitetura e paisagem, interior e exterior, bem como telhado e fachada são reunidos pelo escritório Henn no seu conceito arquitetônico de um espaço contínuo, fluido e coerente.

 Parque temático Autostadt, na Alemanha

Similar às tecnologias usadas para estruturas leves nas indústrias automotiva e aeroespacial, o envelope do edifício forma um invólucro espacial que atua, ao mesmo tempo, como suporte estrutural.

No total, 620 folhas de papel de revestimento em aço inoxidável com nervuras soldadas foram pré-fabricadas em outra cidade e montadas no local. Dentro do pavilhão, o espaço se abre e permite ao visitante experimentar os carros da marca Porsche e conhecer sua história, deixando de lado restrições e limites convencionais.

A rampa elíptica abraça o princípio dinâmico da arquitetura e leva o visitante às áreas mais baixas do palco de exibições.

parque temático Autostadt, na cidade de Wolfsburg

Curtiu? Vai lá e prestigia o blog da Débora!

Fotos: 1,2,3,4,5,6 e 7

Casa ganha novo invólucro sobre fachada antiga

Os arquitetos do escritório Ooze, com base em Paris e Roterdã, aceitaram o desafio de aumentar essa casa na Holanda aproveitando o espaço já construído e criando um novo invólucro pra fachada. A casa original lembrava uma típica fazenda holandesa e foi erguida no início do século passado.

Projeto de casa com telhado verde e ripas de madeira é do escritório escritório Ooze, com base em Paris e Roterdã

Casa recebeu nova fachada, mas preservou características antigas de fazendas holandesas

Em 2003, ela já havia passado por uma ampliação. Mas agora foram acrescentadas escada lateral, placas de grama e ripas de madeira no telhado para que a identidade com as antigas casas do bairro fosse mantida. O objetivo do escritório era “redescobrir o futuro” por meio da preservação da alma da casa da forma mais sustentável possível.

casa tem telhado verde, vigas de madeira, muito vidro e ângulos

Ampliação foi feita sobre estrutura antiga e deu espaço à construção de uma nova escada na lateral

As duas paredes principais da planta original tiveram sua altura aumentada para sustentar a nova altura da construção, de 11 m.

O layout consiste em uma estrutura de formato semicircular, com dois novos volumes verticais unidos sob um telhado pontiagudo.

Casa lembra origami japonês. Fachada nova foi erguida sobre estrutura antiga

Com ângulos diferentes, nova fachada lembra origami

O interior da casa é elegante e clean, com pouquíssimos móveis – convenhamos que com um exterior desses a casa nem precisaria de muito mais sofisticação por dentro!

Uma boa sacada foi o uso de painéis pré- fabricados de madeira na obra, o que permitiu que o projeto fosse concluído mais rapidamente.

A sala de jantar, que é uma extensão da cozinha, foi mantida no térreo e ganhou um mesão branco com luminárias bem modernas.

Cozinha fica na área térrea e tem saída para área verde

Cozinha branca e elegante foi construída no térreo da casa

Por serem mais leves, os materiais que foram usados também permitiram que as paredes externas mantivessem sua espessura fina. Veja que os limites entre teto, parede e chão desaparecem.

Novo anexo da casa holandesa deu a ela diferentes ângulos

No quarto, nova estrutura trouxe luminosidade, mas tomou parte da altura do teto. Por isso, a opção pela cama de futon

As novas escadas levam ao segundo e ao terceiro pavimento, onde foi feita a ampliação.

Casa ficou moderna com vidro, madeira e muitos ângulos, mas manteve identidade com antigas fazendas holandesas

No térreo da casa, anexo abriga escada que leva aos andares superiores

Luminárias modernas, escada e muitos ângulos em casa cômodo do novo anexo

Segundo andar da casa, com vista para telhado verde

Obra adicionou fachada feita de vidro e madeira à casa na Holanda

Muitos ângulos mesclam os limites entre teto, paredes e chão

Não é que o formato lembra aqueles origamis japoneses?

Fotos: Yatzer.com

Casa sustentável e linda de morrer!

É difícil a gente ver por aí uma casa verde que seja ecológica de verdade! Geralmente, um aquecimento solar e o uso de um ou outro material sustentável já são suficientes para intitular um projeto desses. Mas não é o que acontece com essa linda casa na Flórida.

Casa verde tem design e sistema para economizar e filtrar água

Parte da construção é revestida com Resysta, um material muito parecido com madeira, tanto no toque quanto em sua apresentação. No entanto, ele é feito de uma mistura de casca de arroz com óleo mineral e sal.

Já a estrutura branca da casa disfarça dois sistemas de aquecimento solar: o primeiro alimenta a rede elétrica da casa, enquanto o outro aquece a água da piscina.

Quarto de casal sustentável com piso de cimento queimado, mesa vermelha, janelas amplas e espelho

Na suíte, o chão é feito de concreto misturado a cinzas do carvão usado em usinas elétricas, em vez de areia. A cor contrasta com o vermelho da mesa de cabeceira. E o quarto, superclean, ganha ainda mais amplitude com o espelho.

Sala com pé direito alto tem janelas amplas de vidro e dispensa o ar condicionado

Na sala, as portas de correr de vidro garantem uma boa ventilação, o que evita o uso do ar condicionado. O tapete colorido e a madeira aquecem o ambiente, que poderia ficar frio e sem charme com o pé direito alto e o chão cinza. O glamour é arrematado pelo mobiliário clássico, como as cadeiras e banquetas Barcelona, e pelos aparadores

sala com janelas de vidro e marquise de madeiraDado que as janelas de vidro são muito mais ineficientes na limitação do calor provocado pelo sol, na comparação com uma parede de concreto, o arquiteto fez um teto de madeira de 2,5 metros além da janela, uma espécie de marquise. Essa extensão permite que haja sombra sobre a janela, deixando a sala mais fresquinha.

Cozinha com chão de cimento, ilha e sistema de purificação de água acoplado à pia

Na ampla cozinha é onde a família costuma se reunir. Um sistema de purificação ligado à pia trata a água que vai para o consumo.

Algumas dessas soluções são práticas e fáceis de usar, né?

Fotos: Ny Times

Eficiência da bicicleta inspirou velódromo de Londres

A nossa colaboradora Débora Foresti acompanhou de pertinho toda a movimentação dos jogos Olímpicos de Londres e disse que agora a sensação é de ressaca com o fim da festa. Que pena!

Mas ela hoje fala sobre um dos legados das Olimpíadas e acredita que aqui no Brasil a festa vai ser muito mais bacana!

Por Débora Foresti

Mesmo com o fim das Olimpíadas, o assunto continua reverberando aqui em Londres nas ruas e nos pubs, já que é difícil não se empolgar com essa festa do esporte. O velódromo, projetado pelo escritório Hopkins Architects, é um dos meus projetos favoritos para as Olimpíadas.

Projeto foi feito pelo escritório Hopkins Architects e abrigará grandes eventos esportivos

Ele é um dos quatro locais de eventos permanentes no Parque Olímpico. Mesmo passados os jogos, o centro permanecerá sendo importante para eventos de ciclismo e pista coberta na cidade.

O edifício é uma resposta elegante ao programa, usando materiais simples e de uma forma eficiente para atender as aspirações do governo dentro do orçamento disponível.

A grande inspiração para o projeto foi o próprio ciclismo ou, mais precisamente, a bicicleta, que é um objeto ergonômico engenhoso que foi se aperfeiçoando ao longo do tempo e atingiu uma eficiência inigualável.

Nas palavras dos arquitetos (tradução minha): “Nós queríamos que a mesma aplicação do design criativo e do rigor da engenharia utilizados na fabricação da bicicleta se manifestasse no edifício. Não como uma imitação da bicicleta, mas como uma resposta tridimensional aos requisitos funcionais do local, que obtém suas formas características pela abordagem de uma equipe integrada de design focada no desempenho e na eficiência de todos os aspectos do edifício”.

velódromo é legado das Olimpíadas de Londres

O telhado orgânico (superbacana, diga-se de passagem) do velódromo foi concebido de forma a refletir a geometria da pista, usando uma estrutura de rede de cabos de dupla curvatura muito leve.

Assentos podem ser revertidos de acordo com o evento esportivo

O velódromo tem 6.000 assentos usados tanto nas Olimpíadas quanto no dia-a-dia pós-olímpico e responde a ambos os contextos de forma adequada e com transformação mínima.

Corredor é envidraçado com vista para o parque Olímpico e a cidade de Londres

Prédio de vidro oferece vista para parque Olímpico e para a cidade

As arquibancadas (superior e inferior) são divididas pelo corredor principal de circulação, o que permite aos espectadores manterem contato com a pista enquanto circulam pelo prédio. Esse corredor de circulação é todo envidraçado e tem vista para o Parque Olímpico e o horizonte londrino.

A fachada externa é revestida de madeira, que traça um paralelo com o revestimento da pista no interior do edifício. A autoridade local definiu várias metas de materiais e sustentabilidade. Através de uma análise cuidadosa e da integração dos serviços de estrutura, arquitetura e construção do projeto, esses requisitos foram atendidos e até superados.

Autoridade de Londres definiu várias metas de uso de materiais e sustentabilidade

As fotos são daqui

Gostou? Aproveite pra espiar o blog da Débora!

Conheça o Fasano de Porto Feliz, por Isay Weinfeld

Hoje a gente trouxe pra vocês um projeto incrível do arquiteto paulista Isay Weinfeld, erguido a 100 km de São Paulo. Trata-se do Hotel Fasano Boa Vista, em Porto Feliz. Construído em um complexo de 750 hectares, o hotel foi projetado de frente para um lago e, apesar de ser contemporâneo, guarda várias características do modernismo.

Construído de frente para o Lago, hotel usa madeira, pedras e vidro

Hotel, com características modernistas, foi construído todo na horizontal

Pra começar, sua estrutura é toda horizontalizada. Composto por duas asas simétricas, sendo uma levemente côncava e a outra sutilmente convexa, a base do Fasano é feita da combinação de vigas de madeira, vidro e pedra.

Hotel horizontam com madeira, pedras e cimento

Duas asas em torno da recepção abrigam os quartos

O pé direito de todos os ambientes é altíssimo, o que amplia a sensação de grandiosidade. Em seu interior, o chão é construído em madeira de perobinha e tanto as paredes quanto o teto são feitos de freijó.

Veja que a mistura da madeira com as pedras nas paredes é o ponto alto da construção. No mobiliário das áreas em comum, o arquiteto optou por peças atemporais, e o grande charme é a lareira que desce do teto e alcança a todos no espaço, com cobertura de 360 graus.

Lareira, móveis de design e vidros compõem o ambiente

Na área em comum, uma lareira que desce do teto e aquece 360 graus

Os quartos, que ficam dos lados direito e esquerdo da recepção, têm dois andares, sendo em cima o dormitório e embaixo a sala. Cada um deles é claramente delimitado e afastado do outro, como se fosse uma caixa individual.

cabeceira acolchoada, banquetas de couro e iluminação aquecem o quarto

Quartos do Fasano são delimitados pela alvenaria. A sensação é que cada um está em uma caixa

A vista para o lago é um convite para sair à varanda. Note que com um cenário desses o arquiteto não precisou se preocupar tanto com a decoração. Poucos e bem escolhidos móveis são suficientes para ocupar o espaço, juntamente com as paredes forradas com freijó.

Hotel do arquiteto Isay Weinfeld em Porto Feliz

No quarto, pé direito alto dá sensação de amplitude, enquanto cabeceira acolchoada, banquetas de couro e tapete aquecem o ambiente

Quero muito conhecer! E vocês?

Fotos: Divulgação

8 Dicas para Decorar Apartamentos Pequenos

Estou com um projeto de um apartamento pequeno e, sim, é um trabalho bem desafiador. Todo mundo precisa de lugar para guardar panelas, mas também quer receber os amigos confortavelmente na sala. É um jogo de prioridades e a busca do equilíbrio entre estética e função é infinita. Mas é a realidade de muita gente e, cada vez mais, os imóveis ficam mais e mais espremidinhos. Hoje passo algumas dicas para quem vive esse sufoco. Mas, ressalva mais importante que o post, nada aqui é regra e isoladamente nada disso vai resolver todos os seus problemas, tá?

1. Encare os fatos: você não pode ter TUDO.

Faça uma lista bem completa das funcionalidades de cada ambiente (dicas AQUI) e defina prioridades. São escolhas difíceis, mas só você pode dizer o que é mais importante. Se você gosta de receber amigos aos montes e frequentemente, vale a pena abrir mão de armários para acomodá-los mais confortavelmente? Você precisa de tanta roupa de cama assim? Já tem sapatos que não usa mais? Hora de priorizar 😉

closet rosa

1. Seu sonho de consumo é um closet enorme com seus sapatos expostos? Topa abrir mão de um quarto da casa pra isso?

2. Pense fora da caixa: dê diferentes usos aos mesmos móveis.

Sua mesa de jantar pode funcionar como seu escritório, o sofá pode substituir algumas cadeiras e tchanan! Você tem uma sala de jantar, estar e home-office, tudo no mesmo ambiente.

mesa redonda na cozinha

2. Uma mesinha redonda com poltronas confortáveis é uma excelente pedida para receber amigos mais íntimos, na cozinha, mesmo.

Tem mais posts de dicas de como usar sofás na sala de jantar AQUI e na cozinha AQUI.

3. Pense verticalmente: use toda a altura das paredes e, por que não o teto, como espaço disponível.

Muitas vezes enchemos a sala de aparadores e deixamos a parede sobre ele vazia. Use prateleiras, nichos, aproveite o espaço das quinas, ao lado das janelas, tudo. Inclusive embaixo da cama, da pia, da bancada, da escada, atrás de portas.

soluções para banheiros pequenos

3. Não tem gavetas para maquiagem ou para os apetrechos de fazer a barba? Joga na parede que gruda. Olha que ideia fantástica do blog Laura Thoughts: fazer um painel magnético. Veja como fazer no link, ao final do post.

armazenar roupa suja

4. Será que precisa, mesmo, ter um cesto enorme de roupas sujas? Um saco bonitinho atrás da porta e você usa aquele espaço pra outra coisa.

4. Espaço vazio também é útil: entulhar móveis enormes e mil armários vão te tirar espaço de circulação.

chaise e poltrona

5. Nem só de grandes sofás se faz uma sala de estar. Uma chaise, poltronas e cadeiras compõem um ambiente gostoso e mais livre.

Não tem nada pior do que ter que se desviar quinze vezes ao dia daquela pontinha do sofá que ficou um pouquinho pra fora. Basta um dia que você esteja com mais sono ou de TPM pra você dar aquele chute com o seu dedo mindinho na quina do móvel, sabe? O que me faz pensar na próxima dica.

5. Evite quinas: circulação vem de círculo, não de quadrado.

Quando você desenhar sua planta baixa, pegue um lápis e simule os caminhos que você vai fazer dentro da casa – do cama para o banheiro, da cozinha para o quarto, da porta de entrada até a sala, etc. Busque sempre a menor distância possível entre dois pontos, você vai ver que formas redondas vão atrapalhar menos o caminho do que quadradas do mesmo tamanho.

6. Evite criar corredores: eles só servem para ocupar espaço.

Corredores são espaços perdidos. Integre ambientes sem impor um caminho fixo para caminhar entre eles, dê liberdade de movimento. Além de ser mais agradável ao olhar, é mais agradável ao andar. Mas se a planta do imóvel tem um corredor, não se acanhe, agarre-o e use-o com todas as forças, ele não é sagrado.

estante de livros no corredor

6. Estantes para livros ocupam pouco espaço, com uns 20 centímetros de profundidade você já consegue guardar livros de tamanho médio. Garanta pelo menos uns 80 centímetros de circulação no corredor.

7. Abandone regrinhas milagrosas: cores não vão aumentar nem diminuir seu espaço.

A casa pode ser toda preta, mas se estiver bem planejada e preto for o seu sonho, vai ser a sua casa perfeita. Já mostrei até que teto preto amplia ambientes, lembra?

cama preta

7. Parede preta, piso cinza e roupa de cama escura – um quarto aconchegante.

Cores, espelhos, jogos de luz e ilusões de ótica podem, sim, mudar a sensação de espaço em um ambiente. Mas, eu preciso dizer mesmo sendo óbvio, o tamanho do seu apartamento não vai mudar. Então quebre a cabeça para que sua casa seja funcional acima de tudo, a estética pode ser resolvida muito mais facilmente e eu prometo um post futuro com truques desse tipo.

8. Elimine portas desnecessárias: sim, elas ocupam espaço!

Portas de correr aliviam porque você diminui o espaço necessário para garantir a abertura da porta, mas ainda exigem alguns centímetros para os trilhos e folhas.

armario sem porta

8. No espaço do armário, uma arara deixa as roupas expostas e economiza o espaço das portas. Um quarto dentro do closet ou um closet aberto pro quarto?

Imagens:  123, 4, 5678

Duplex moderno com boa iluminação natural

A gente adora ver um projeto feito sob medida, sofisticado e de bom gosto. Esse duplex de Pinheiros, que está à venda, une várias características bacanas sobre as quais já falamos aqui.

Fruto de uma junção de dois apartamentos, ele tem 115 m2 e um aproveitamento bacana de espaços. Além disso usa cores super em alta como preto, cinza e roxo, e tem uma cozinha americana deliciosa para receber os amigos. Outro coringa é a luminosidade natural associada a um bom projeto de iluminação.

Chão e paredes brancas, móveis modernos e cozinha americana

Cortinas translúcidas garantem privacidade sem abrir mão da luz natural que entra pelos janelões. O material esvoaçante traz leveza ao ambiente.

As paredes e o chão claros, junto com as cortinas e as janelas grandes, ampliam o principal espaço da casa, dividido em sala de jantar e home theater. Na decoração foram usados poucos móveis e objetos, o que deixa o espaço mais clean e amplo.

Repare nos bancos de acrílico junto ao balcão da cozinha americana: são extremamente úteis para receber amigos e, por serem transparentes, quase não fazem volume.

Bar e bancos de acrílico em balcão de cozinha americana

Geladeira e fogão em aço inox fazem contraste moderno com balcão preto e paredes brancas. As luminárias seguem o material dos eletrodomésticos, ajudando a integrar os ambientes.

Uma ilha de cor preta separa a cozinha da sala de jantar. Os pontos de luz em cima do balcão e o tampo de mármore facilitariam a execução de tarefas básicas, como corte de legumes, verduras, frutas e carnes, não fosse o nível um pouco alto da bancada, que deve funcionar como um balcão.

Escadas com degraus de vidro

Home Theater visto da cozinha: combinação de muito branco, cinza, preto e roxo

O home theater combinou cores neutras, como branco, preto e cinza, com o toque sutil de roxo, que alegrou o ambiente. Destaque para os degraus de vidro que levam ao segundo andar do apartamento. Ficaram supermodernos e a transparência ajuda a ampliar ainda mais o ambiente!

Em cima da mesa de jantar, o teto de vidro cria uma comunicação visual com o andar superior – a suíte super charmosa.

claraboia permite iluminação natural para a prateleira com livros

Piso de vidro permite a utilização do espaço e aumenta a luminosidade nos dois andares

Uma estante deixa os livros à mostra e ainda dá movimento a uma parede com seu desenho irregular, apesar de simétrico.

Çama branca, chão de madeira, mesa de cabeceira e escritório

Cabeceira de madeira mais baixa divide dormitório do escritório

Banheira de hidromassagem em deck de madeira

Banheira fica sobre deck de madeira, em área que funciona como extensão do quarto

Se interessou?

115m2 em Pinheiros, com toda a mobília e duas vagas

Prédio com lazer: academia, piscina, duas churrasqueiras e salão de festas

VENDA: R$1.290.000,00

COND: R$766,00

IPTU: R$1.954,00/ ano

INFO: casadaidea[arroba]gmail.com

Antigo palácio português vira hostel descolado em Lisboa

Já se foi o tempo em que o hostel era uma opção de hospedagem econômica, mas sem glamour. Hoje em dia, há vários albergues bem charmosos com diárias super em conta, e que investem em design e soluções fáceis e descoladas.

Hostel tem decoração Art Decó e mobiliário vintage

O The Independente, em Lisboa, é um bom exemplo disso. Convictos de que era possível reunir diferentes culturas com as histórias locais, três irmãos mochileiros se reuniram e reformaram um antigo palácio pertencente à realeza, que tem arquitetura típica portuguesa e decoração em Art Déco.

Móveis antigos, portas francesas e chão antigo quadriculado foi preservado e fazem contraste com parede vermelha

Na entrada principal, o visitante já se convence de que está em um lugar especial ao se deparar com um salão de pé direito alto, portas grandes de madeira, cadeiras antigas de couro, chão quadriculado e parede bem vermelha, que deixa o ambiente mais descolado.

O Art Déco aparece nos detalhes do teto e das luminárias. Na estante de madeira antiga e arredondada, um relógio antigo dá o toque especial.

Além disso, se mostra nas escadas que levam ao piso dos apartamentos.

Camas em madeira e luminárias de ferro em formato de lâmpada modernizam quarto

As janelas amplas deixam os quartos e a sala mais iluminados e arejados, e a sensação de conforto é maior. O piso original de madeira foi preservado, assim como molduras, candeeiros e portas francesas.

Veja que as camas são feitas de madeira de reflorestamento, que parece aquela utilizada em caixotes de feira, e têm um desenho bem interessante, com escadas laterais de um pé só, economizando espaço. As luminárias em formato de lâmpada, ao lado de cada cama, arrematam o visual mais ousado causando um baita contraste com todo o entorno, deixando o quarto bem moderno.

estante de madeira desgastada, máquinha de escrever e luminária antiga

Objetivos vintage compõem decoração da suíte

Nas quatro suítes mais privativas, reservadas para casais, peças retrô também marcam a decoração e se opõem à jovialidade trazida pelo uso da arara para pendurar as roupas. As varandas dão para uma linda vista do rio Tejo.

Nas áreas em comum, como o pátio, preste atenção nos azulejos portugueses na parede.

Já no restaurante “Decadente”, nome que não faz jus ao decor, a opção foi pelo mobiliário “vintage”.

E aí, já definiu o destino de sua próxima viagem?

Leveza, formas pontiagudas e tecnologia: essa é Zaha Hadid

Leveza, formas pontiagudas e angulares, paisagem e tecnologia. Essas são as principais características do trabalho da arquiteta iraquiana Zaha Hadid, sobre quem vamos falar um pouquinho hoje para vocês.

Arquiteta tem Niemeyer como fonte de inspiração

Depois de cursar a universidade de Beirute, no Líbano, onde estudou matemática, Zaha se mudou para Londres, cidade em que vive até hoje e que abriu espaço para que ela se tornasse conhecida mundialmente.

Fã declarada do arquiteto Oscar Niemeyer, Zaha, que tem 61 anos, é considerada uma dama da arquitetura mundial. Foi a primeira mulher a receber o prêmio Pritzker de Arquitetura em 2004, uma espécie de “Nobel” da área, e assina, entre outros projetos famosos, o Centro Aquático de Londres que a gente tem visto nas competições olímpicas.

Arquiteta tem Niemeyer como fonte de inspiração

Na foto acima, você consegue identificar semelhanças entre o projeto do Centro Aquático, de Zaha, e o Museu de Arte Contemporânea (MAC) de Niterói, projetado por Niemeyer? As formas arredondadas, a edificação que parece flutuar e a combinação de concreto, vidro e natureza… tudo isso me soa muito parecido!

“Muitos arquitetos daquele período experimentaram com a forma, mas Niemeyer elevou seu trabalho a um nível superior, usando todas as vantagens da capacidade de o concreto ser despejado em formas fluidas, como eu faço no meu trabalho com as muito mais avançadas tecnologias de que dispomos hoje”, declarou Zaha recentemente em visita ao Brasil, ao falar sobre a influência do arquiteto brasileiro sobre sua obra.

Cores, formas pontiagudas, metal e vidro

Na década de 90, a arquiteta fez o superdescolado restaurante Mooson, no Japão. Veja como as cores, as formas pontiagudas e o uso de vidro com o metal se destacam.

Arquiteta iraquiana tem metais, vidro, concreto e objetos pontiagudos em sua obra

Moda também está entre as facetas de Zaha, que já assinou coleções para a Melissa e para a Louis Vuitton.

arquiteta iraniana tem como características de suas obras as formas pontiagudas e angulosas

Zaha Hadid investe também em moda

Não é incrível o trabalho dela?

Fotos: Zaha Hadid Architects e MAC