Truques pro Apartamento Parecer Maior – Branco Milagroso

Na série de posts sobre como fazer um ambiente parecer maior já falamos de trazer luz e permitir que o ar passe pelos móveis. Mas eu ainda não falei da primeira dica que todo mundo dá: do branco milagroso.

sala de almoço com bancos e cadeira eames

Mas o branco não é milagroso, porque ele não age sozinho. Quais dicas você já consegue identificar na foto 1? Bastante luz natural, integração de ambientes sem paredes e pés nos móveis com bastante chão à mostra. O branco é só um dos elementos que ajuda a deixar o ambiente mais amplo. Mesmo assim, o efeito mais importante não é da cor isoladamente, mas da composição monocromática.

8. Disfarce quinas usando a mesma cor em todas as paredes, cortinas, portas e janelas. É a mesma história que falei sobre evitar sombras muito marcantes. Paredes com cores diferentes vão quebrar o ambiente em partes e escancarar os seus limites. Cores contínuas fazem as quinas desaparecerem.

pintar parede atrás da cama

9. Use um rodapé alto e da mesma cor que o piso. A impressão é de empurrar o limite um pouco mais pra frente.

paredes pretas na sala

Na foto 3 você consegue perceber o uso de paredes pretas disfarçando os limites entre elas. O teto branco em contraste é quem “acusa” o tamanho real neste caso. Se você tem um pé direito generoso (boa altura total do piso ao teto), você pode fazer um rodateto na mesma cor do teto e provocar a mesma sensação. Ou se beneficiar de um efeito que eu chamo preto infinito, dá uma olhada.

parede azul sofa rosa

Viu como o branco que amplia ambientes? Só que não 😉

Imagens: 1 | 2 | 3 | 4 |

Inspiração para as paredes

As paredes podem ter um papel estrutural, ser meras coadjuvantes na decoração, servir para pendurar um quadro bacana, ou podem roubar a cena e dar um toque muito interessante no ambiente.

lavabo verde azul e amarelo

Você pode usar cores e padrões irregulares, com tinta ou papel de parede. Olha como a parede é a principal atração deste banheiro. {DI}

decoracao branca

Ou somente molduras diferentes vazias. {DI}

papel de parede no teto

Papel de parede é sempre uma alternativa. Neste cômodo, ele foi pro teto também. {AT}

decoracao papel de parede interativo

Este papel de parede, do designer Duncan Wilson, é um espetáculo. São bloquinhos de post-it que começam cinza-claro até chegar no fundo vermelho. A parede muda de acordo com o uso, tornando-se uma obra de arte feita pelos membros da casa. {DW}

quarto de brinquedos

Esta papel de parede também é interativo, várias molduras esperando uma nova “arte”. Nada de paredes rabiscadas pela casa, mais. E um bom lugar para mostrar suas fotos e habilidades artísticas. {AT}

decoracao com quadros na parede

Também interativa, as pranchetas penduradas podem mostrar as fotos da última viagem, ou das próximas, os desenhos da família, um documento ou matéria do jornal. {DI}

azulejos que mudam de cor

Estes azulejos mudam de cor com a temperatura. Nada melhor para avaliar o clima do ambiente 😉 {AT}

decoracao com estante de nichos

Todas as paredes deste apartamento viraram uma estante de nichos. Ocupa espaço, mas fica linda. {AT}

parede de madeira

Esta é uma casa feita de troncos, mas podemos adaptar para um acabamento lindíssimo na parede da sala, por exemplo. {ML}

decoracao com lego

Encaixar legos em paredes quebradas (propositalmente no nosso caso) dá um toque colorido e inesperado. {WU}

Se você tem ou conhece uma parede especial, manda pra gente!

Imagens: Apartment TherapyDesire to InspireDuncan WilsonMocoLocoWebUrbanist

Hotel Gran Bavaró – Punta Cana – tive que tirar umas fotos…

Oi, gente! Saudades do blog…

Estive uma semaninha de férias, fui para Punta Cana, na República Dominicana. Como lá é uma região só de hotéis All Inclusive (aliás, alguém sabe por que não chama All IncluDED?), não tem muita coisa pra se fazer a não ser curtir o hotel e a praia. A praia não perde para nenhuma praia bonita do Brasil, e All Inclusive tem meio a mesma cara em todo lugar… o legal foi que passamos o Natal em família, que mora meio espalhada, e curtimos o tempo pra bater papo, jogar Uno e brincar com a minha afilhada linda!

Como eu não sou de lagartixar no sol porque faz mal pra pele, tive que inventar coisas pra fazer, e uma delas foi tirar fotos do hotel pra depois contar pra vocês…

A primeira é só pra matar de vontade de pular numa piscina, tomar uma cervejinha no bar molhado… olha que céu azuuuul…

As fachadas no nosso bloco de prédios seguiam um padrão de cores – as paredes internas eram sempre amarelo-escuro. Já as paredes externas eram verde-acinzentado ou vermelho-tijolo. Lembram que tipos de combinação são essas?

O verde e o tijolo são cores complementares, e estão nas paredes que mais se destacam nas fachadas. Como os edifícios são próximos, o contraste fica muito visível, o ambiente fica alegre, divertido. O amarelo, que está presente no fundo dos dois, é a cor que fica bem no meio do caminho entre o tom do verde e do tijolo, no círculo cromático… o que traz uma simetria entre os pares de cores de cada prédio, evitando o destaque a algum deles.

Sobre os quartos…

Eu adoro a combinação de marrom com amarelo, mas…

…reparem que nas fotos anteriores as esquadrias das janelas e varandas eram brancas, linhas retas, modernas. O que tem a ver essa porta de madeira na entrada do quarto?? Daí vocês entendem por que eu nem vou mostrar o interior do quarto… melhor deixar a fachada principal na cabeça de todo mundo.

Olha que legal as cores que eles escolheram para as toalhas da piscina… complementares também: azul e laranja.

O outro bloco era um pouco mais suave, todos os prédios eram iguais, laranja com verde. Na piscina eles usam as mesmas cores, porém muito mais saturadas, causando mais excitação visual na área de lazer.

Mas tem uma terceira cor fundamental nessa combinação que parece que não é proposital mas é fundamental para a composição – o azul da piscina e do céu. Pela técnica, é a combinação tríade, onde o azul e o verde estariam na mesma distância da cor complementar ao tom amarronzado do laranja.

Mudando de assunto…

Interessante o material de revestimento da piscina.

Achei esse acabamento muito bacana. De longe parecia pedra pomes. De perto vi que era um tipo de fulget – uma massa com micro pedrinhas, o que é mais aderente do que azulejos, evitando escorregar nas escadas, ou na piscina de crianças. Imagino que seja muito mais barato também, e as pastilhas de vidro no nível da água dão um tom mais sofisticado do que seria uma piscina toda sem cor, apesar de ficar azulzinha também. Tem que avaliar como fica a facilidade de limpeza.

Olha o piso da área externa.

Pesquisei mas não encontrei nada sobre o material do piso, pareciam rochas de corais fossilizados. Tentei achar um padrão, mas realmente cada placa era completamente diferente da outra, como se um coral tivesse encostado num cimento molhado. Muito interessante. Ainda não sei se ecologicamente corretos… se alguém souber, conta pra gente.

Aqui uma “jacuzzi” aquecida bem gostosa… mas vamos combinar que não é a coisa mais inteligente do mundo você ter que passar pela água gelada da piscina pra chegar lá e, pior, sair de lá depois de ficar quentinho…