Montando um quarto lúdico

Essa semana nossa colaboradora Marina Teiman fala sobre como transformar o quarto de seus filhos em um ambiente mais lúdico, com pequenas ideias. Aproveita e vai lá conhecer o blog dela, Parabólica.

Por Marina Teiman

Hoje resolvi me dedicar aos ambientes infantis. Se tem uma coisa que eu acho que combina muito com a decoração de quartos de crianças é o lúdico. Estimular a criança a brincar desde cedo é tão importante para seu desenvolvimento motor, como para a sua criatividade. Não há nada mais importante para a criança do que o brincar. Que tal fazermos a nossa parte estimulando-os?

Separei algumas soluções simples e de baixo custo que transformarão completamente o quarto de seus filhos em um lugar interativo e atrativo.

Quarto infantil com base de lego verde na parede, em que criança pode montar peças

Sou fã da Lego, e adorei essa ideia de cobrir as paredes (faria apenas uma para dar mais amplitude ao quarto) com as placas de base verde. Depois, é só encaixar as pecinhas e se divertir. O mais legal de tudo é que a proposta é válida tanto para as meninas como para os meninos.

Papel de parede imitando uma lousa, lousa no quarto infantil para a criança desenhar

Outra solução para as paredes seria cobri-las com um papel de parede que imite uma lousa, o que as deixaria bem mais divertidas. Ou, melhor, pintá-las com tinta de lousa para que a criança mude sua decoração quando quiser. Dá até pra fazer a lição de casa. Mais uma proposta unissex.

Calendário personalizado em quarto infantil ajuda crianças a lembrar de compromissos

Calendários também são ótimas opções. Esse é importado e vem com todas as atividades para a criança preencher, mas você (e seu filho, claro) pode criar um bacanérrimo e personalizado. Sem contar que é divertidíssimo tornar o preenchimento do calendário um hábito antes de dormir. Ajuda a criança a se organizar e a ter a segurança de que elas tanto precisam.

Cama infantil com gavetas que se transformam em espaço para a criança brincar e montar quebra-cabeças. Na prateleira de baixo as outras peças ficam guardadas

Essa é uma opção mais trabalhosa, mas ótima para a criança aprender a brincar de guardar também! A primeira prateleira serve para montar jogos e brincadeiras e fica intacta, sendo que a atividade pode ser continuada depois. Já na de baixo, fica o restante das peças a serem guardadas.

Fotos: 1,2,3 e 4

Casa de 1751 ganha banho de tinta e fica com a cara dos donos

Numa bela e antiga construção de 1751, a artista Kristin e seu marido Nicholas Mark passaram os últimos 14 anos pintando e repintando cada ambiente, conferindo aos cômodos um pouco de sua própria personalidade.

Tons fortes em verde, vermelho e azul contrastam com estampas geométricas nas paredes e nos acessórios, enquanto fotos antigas e o mobiliário de família dão uma pitada vintage à decoração.

biblioteca verde, móveis e objetos antigos, decoração vintage
Neste escritório, por exemplo, uma pintura de verde lavado na parede faz contraponto com a manta vermelha sobre a cadeira e o tapete turco. A máquina de escrever sobre a mesa de madeira e as dezenas de livros na estante, dispostos de forma aleatória, dão um toque pessoal ao espaço. As lanternas turcas penduradas também fazem a diferença e deixam a casa mais charmosa.
sofá listrado, papel de parede geométrico e cadeira vermelha na biblioteca
No living, a artista criou seu próprio papel de parede, recortando tampas de caixas do correio americano, colando-as umas sobre as outras e soltando sua criatividade na hora de pintá-las à mão. Mais uma vez são as fotos antigas, os móveis e outros objetos que mostram que vive uma família ali, e que não se trata apenas de um showroom de decoração.
Painel antigo de madeira cobre a lareira na sala e objetos trazidos de viagem dão toque pessoal à decoração
No entorno da lareira, o painel de madeira foi preservado. Objetos trazidos de viagens e algumas fotografias arrematam o visual.
Sala com parede estampada e florida, quadros e móvel antigo de família repaginado
Neste cantinho da parede, a pintura à mão faz a diferença. O aparador é herança da tia-avó da artista e, após ter recebido uma fina camada de tintura preta ficou um pouco mais moderna.
Cozinha rústica com móveis de madeira coloridos, piso de madeira de demolição, luminária de ferro fundido antiga, mesa de madeira antiga
Na cozinha, o móvel da avó foi repaginado. Ganhou tintura laranja e uma cortina de bordado no lugar de uma porta quebrada. Na copa, o piso de madeira de demolição foi mantido e combina com a madeira da mesa antiga. A luminária de ferro fundido preto complementa o aspecto rústico/retrô.
luminárias de papel, teto de madeira, cadeiras coloridas na sala de jantar
O casal construiu ainda um segundo ambiente para as refeições, que ficou divertido com lanternas de papel, quadrinhos e cadeiras coloridas.
Sala de estar com móveis de vime, luminárias antigas pintadas à mão e almofadas coloridas
Como extensão do ambiente de refeições, foi criada uma colorida área para as visitas, a partir de mobiliário de vime, almofadas de estampas distintas e luminárias antigas. Veja que a iluminação natural, vinda de janelas bem amplas, faz com que o espaço pareça maior do que realmente é.
quarto com parede laranja de patna ganha ar rústico com madeira aparente no teto
Neste quarto, os moradores optaram por brincar com tons quentes, como laranja, rosa e amarelo. O quadro na parede, que fica rústica com suas madeiras aparentes, se destaca por conta da cor verde.
banheiro tem metade da parede em madeira branca e a outra metade da parede amarela, com banheira antiga e manchada
Nem o banheiro escapou das cores! Metade da parede é coberta com réguas de madeira e a outra parte com tinta amarela. Veja que propositalmente foram deixadas algumas marcas de tinta na banheira, reforçando a mensagem de que ela já é bem antiga.
fachada da casa americana branca construída em 1751, decorada com cores por artista
Casa branca antiga de 1751 ganhou anexo de madeira
Por fim, vejam que singela a fachada da casa, que há dois anos recebeu um anexo de madeira.
Fotos: Houzz

Cores e formas no trabalho de Calu Fontes

Cada peça feita pela artista plástica Calu Fontes é uma obra de arte por si só. A pintura em porcelana e azulejos, combinada com o uso de decalques, formam painéis, paredes inteiras, móveis e peças atemporais, que nunca saem de moda.

pintura à mão e decalques em porcelana e azulejos

Calu Fontes em frente às suas peças. Técnica mistura pintura à mão e uso de decalques em objetos

Quem visita seu ateliê na Vila Madalena mal consegue imaginar a artista rabiscando os cadernos dos colegas e fazendo molduras para os trabalhos da faculdade de arquitetura. Ao conseguir estágio em uma loja de cerâmica, no entanto, essa vocação pôde – finalmente – ser colocada na cerâmica e mostrada ao mundo.

azulejos pintados à mão e com decalques em painel zen de área externa

Azulejos colados na parede formam um espaço zen em área externa. Antes de começar a pintar, artista rega plantas, acende incensos e ouve música

Calu costuma dizer que nunca sabe como ficará uma peça quando começa a pintá-la. Seu processo criativo começa logo pela manhã, quando ela chega ao ateliê, abre as portas, rega as plantas do jardim, acende um incenso, lê alguma coisa e depois coloca a mão na massa.

Calu Fontes se inspira em orixás, santos, natureza e animais

degraus são preenchidos por azulejos coloridos e desenhados

Azulejos podem ser colados em paredes, escadas e móveis

O trabalho da artista traz alegria e vibração a ambientes variados, como salas, varandas e cozinhas.

azulejos e porcelana pintada à mão são marca registrada da artista Calu Fontes

Na cozinha, painel sobre a pia deixa ambiente bem descolado e jovial

A artista deu uma pequena entrevista para a gente. Confira:

Como e quando você começou a pintar?

Eu amo desenhar desde pequena, sempre gostei! Comecei a pintar porcelana assim que ingressei na faculdade de Arquitetura do Mackenzie, o ano era 1993. Ao invés de estagiar em um escritório de arquitetura optei por um estágio em um ateliê de cerâmica. Assim, as pinturas e desenhos que eu já fazia em papel e aquarela foram parar em cerâmicas e utilitários.

Como se dá seu processo criativo?

Gosto de trabalhar ouvindo música e algumas vezes os trabalhos nascem destas melodias. Também alguns saíram de poemas como um quadro que fiz com um texto da Emily Dickinson, outro foi inspirado em um poema do Neruda e outro em um do Vinicius de Morais. Além da porcelana eu também trabalho com desenho, aquarela e colagens, e geralmente uso o mesmo roteiro quando inicio um trabalho: escolho um elemento que será o ponto de partida para começar e, a partir daí, sigo sem saber aonde vai dar. Gosto de descobrir meu próprio trabalho e me surpreender com que rumo ele tomou. No caso da porcelana, meus trabalhos mesclam o adesivo com a pintura à mão. Geralmente começo fazendo uma base de tinta com texturas e arabescos feitos com pincel. Esta peça vai ao forno. Quando retorna para as minhas mãos, aplico decalques e ela vai ao forno novamente. Muitas vezes continuo o processo fazendo mais uma camada de sobreposição de desenhos e submetendo-a a mais uma queima. Digamos que funciona mais ou menos assim: a cada layer, uma queima.

E a evolução da sua arte? O que você  gostava de pintar e que ficou para trás? Qual sua principal inspiração agora?

No início, eu trabalhava apenas com pintura à mão. Somente após sete anos, introduzi o decalque nas composições.

O que vc gosta mais de fazer? Vasos, azulejos… 

Não tenho uma peça preferida. O estimulante é justamente ter esse leque de opções.

Você diria que suas peças combinam com qualquer estilo ou tem um perfil que se adequa mais?

Acho que combina com qualquer estilo. Fico feliz quando alguém escolhe uma peça no meio de tantas. Como são todas exclusivas penso que ela foi feita para aquela pessoa que a escolheu. Aonde ela será colocada e como será usada fica por conta do cliente, sem minha interferência.

Que ambiente que você mais gostou de fazer?

Atualmente, meu xodó é o painel de azulejos que fiz para o evento Design Weekend. Montei um painel de azulejos nas seguintes dimensões: 5,50m x 2,40m. Foi um presente para a cidade, inspirado na azulejaria portuguesa e nos peixes porque sou filha de Iemanjá e minha família é toda da Bahia. Ele está instalado na esquina da Rua Aspicuelta com Vicente Polito, na Vila Madalena. O projeto Arte na Cidade fica à vista de todas as pessoas que frequentam ou estão de passagem pela rua.

Esse aí de baixo é o xodó da Calu, que ficou de presente para a cidade de São Paulo.

Painel de azulejos foi feito pela artista Calu Fontes durante o Design Weekend e ficou de presente para a cidade de São Paulo

Artista, que tem família baiana e é filha de Iemanjá, se inspirou em peixes e azulejaria portuguesa para fazer painel

A gente agradece, Calu!

As fotos são daqui

Curvas e fluidez em parque temático da Porsche

A nossa colaboradora Débora Foresti está de olho em tudo de bacana que rola lá na Europa. Dessa vez, ela trouxe pra gente os detalhes de um parque temático feito pelo escritório alemão Henn, e que abriga alguns carros da marca Porsche.

Por Débora Foresti

O escritório de arquitetura alemão Henn criou esse pavilhão de linhas simples e orgânicas. Com seu telhado de aço curvo, a construção abriga alguns carros da marca Porsche, no parque temático Autostadt em Wolfsburg, na Alemanha.

parque temático Autostadt, com carros da Porsche, na Alemanha

A beleza desse projeto é inegável. Sua estrutura, em um balanço de 25 metros sobre o “rio” que serpenteia o parque é, sem dúvida alguma, impressionante! Suas linhas curvas e suas dobras estimulantes tornam o pavilhão uma escultura dinâmica, com formas derivadas da imagem da marca Porsche.

Pavilhão da Porsche, construído pelo escritório alemão de arquitetura Henn

Estrutura de 25 metros margeia rio do parque Autostadt, na Alemanha

Do modo que foi projetada pelo escritório Henn, a estrutura captura o fluxo dinâmico do ato de dirigir, e o olhar do visitante acompanha cada curva em looping infinito. O revestimento, em aço inoxidável, forma o envelope vibrante do prédio dando a impressão de uma unidade homogênea. Mas também cria uma aparência de constante mudança por refletir as condições do clima e da luz ao seu redor.

 Estrutura foi projetada pelo escritório Henn

Embaixo da estrutura em balanço, forma-se um espaço externo coberto que é visualmente conectado à paisagem circundante. Ao mesmo tempo, compõe sua própria caixa acústica e tem capacidade para algumas centenas de convidados.

parque temático Autostadt, com carros da Porsche, na Alemanha, foi projetado pelo escritório Henn

Arquitetura e paisagem, interior e exterior, bem como telhado e fachada são reunidos pelo escritório Henn no seu conceito arquitetônico de um espaço contínuo, fluido e coerente.

 Parque temático Autostadt, na Alemanha

Similar às tecnologias usadas para estruturas leves nas indústrias automotiva e aeroespacial, o envelope do edifício forma um invólucro espacial que atua, ao mesmo tempo, como suporte estrutural.

No total, 620 folhas de papel de revestimento em aço inoxidável com nervuras soldadas foram pré-fabricadas em outra cidade e montadas no local. Dentro do pavilhão, o espaço se abre e permite ao visitante experimentar os carros da marca Porsche e conhecer sua história, deixando de lado restrições e limites convencionais.

A rampa elíptica abraça o princípio dinâmico da arquitetura e leva o visitante às áreas mais baixas do palco de exibições.

parque temático Autostadt, na cidade de Wolfsburg

Curtiu? Vai lá e prestigia o blog da Débora!

Fotos: 1,2,3,4,5,6 e 7

Como Misturar Estampas na Decoração

Minha mãe vai reformar os sofás da casa dela e está pensando em combinar diferentes estampas. Como ela me pediu uma ajuda, já mostro para vocês também…

decoracao estampas

As mesmas cores – bege, azul claro, azul escuro e branco – em estampas florais e listradas. {RL}

Meu site favorito para pesquisar este tipo de assunto é o Designers Guild, que também é responsável pelo house wear da Ralph Lauren. Muitas das fotos abaixo são de lá e tenho certeza que vocês vão achar algumas meio exageradas, mas as imagens são ilustrativas e a ideia aqui é mostrar algumas possibilidades e explicar como conseguir o mesmo efeito, mesmo que com outras cores, texturas, tonalidades ou proporções.

Regra PBS

Aprendi uma regrinha fácil para coordenar estampas, é um jeito bem americano. Usamos uma sigla em inglês:

P = Plain

B = Big

S = Small or Stripes or both

A melhor parte dessa dica é o P – use um tecido liso ou que pareça liso de longe (aquelas estampas beeeem pequenininhas). Se esse tecido for de uma cor comum às das estampas fica mais fácil. Pode ser um tom sobre tom ou até da cor complementar a uma das cores dos demais tecidos. E aí você junta com uma estampa grande e uma estampa pequena, ou listrada, ou as duas ao mesmo tempo. Vamos ver como fica?

roupa de cama estampada

O preto liso (P) parece que abraça as outras padronagens, todas com alguma pitada de preto. Dois tamanhos diferentes de xadrez (B e S) e uma estampa fininha que forma listras (S). {RL}

decorando com estampas

Aqui temos vários grupos de combinação. Um fundo comum é o creme e o outro é o turquesa (P). Temos almofadas de padronagens tanto grandes (B) quanto pequenas (S), e o lençol listrado nas 3 cores (S). {RL}

roupa de cama estampada

O branco costura tudo (P), um floral grande azul e vermelho (B) e duas estampas pequenas – listras e flores em azul e branco (S). {RL}

Mesma estampa

Você pode também variar somente a cor de uma peça, mantendo a mesma estampa. Fica muito interessante fazer um o negativo do outro, ou usar cores complementares também.

cortina estampada

A cortina é colorida e o papel de parede é preto e branco. {DG}

Escolha as cores para que conversem com o seu conceito. Aqui ficou um tema navy romântico com o azul, vermelho e branco. {RL}

Mesma cor

Estampas diferentes com a mesma cor também ficam divertidas, dão um movimento no ambiente.

As listras em uma parede são das mesmas cores que os círculos da outra. {DG}

Tamanhos diferentes

O mesmo padrão, nas mesmas cores, mas cada um de um tamanho.

Um xadrez mais fino e outro mais grosso. {RL}

Do jeito que você tentar e ficar bonito

Você pode ir arriscando com base na teoria das cores que vimos neste post, ou com ideias que venham da sua cabeça. Na tentativa e erro, mesmo. E depois tira foto e manda pra gente.

Lembre-se sempre que uma textura pode funcionar também como uma estampa, principalmente se for marcante e grande.

decoracao estampas

Apesar da cortina ser toda vermelha, sua textura em alto relevo é suficiente para ser considerada uma estampa. {DG}

Imagens:

Designers Guild

Ralph Lauren

Apartment Therapy

Decorando com Branco

Uma vez participei de uma dinâmica de grupo em que tínhamos que adivinhar que mensagem algumas pessoas iriam nos passar. E essas pessoas, por sua vez, foram orientadas a não passar sentimento algum. Impossível alguém achar que uma pessoa não comunica nada, ela sempre tem cara de alguma coisa. Mas na decoração eu acho que o branco até consegue fazer esse papel…

parede branca

Sozinho, o branco não me passa sensação nenhuma. {ArchInspire}

No máximo você vai ouvir as pessoas dizerem que um ambiente todo branco é frio. O que pra mim é a mesma coisa que dizer que não transmite sentimento algum, afinal não é isso que define uma pessoa fria?

O branco reflete praticamente toda a luz que incide sobre sua superfície, o que faz com que seu uso ilumine os ambientes, deixando-os mais amplos.

decoracao branco e preto

Mesmo de cortinas fechadas e sem luz artificial o ambiente está bastante claro. {Emmas}

Paredes e pisos brancos diminuem a percepção de divisão e limites, repare como parece que os móveis flutuam na foto acima. Outro fator que causa esse efeito é o uso de cortinas brancas e translúcidas, diminuindo a ocorrência de sombras no piso branco.

O branco também ajuda a causar um efeito bem dramático, destacando as demais cores presentes.

decoracao sala branca

De novo o uso da cortina branca translúcida ajuda a deixar tudo branco e destacar os objetos coloridos. Uma cortina bege aqui seria fatal, deixaria todo o ambiente mais amarelado, diminuindo o contraste com os detalhes em laranja. {Dear Designer}

cadeiras verdes

As cadeiras roubam a cena, e não tem a parede para concorrer, mesmo com uma textura marcante. {DI}

decoracao toda branca

A lareira é a dona da casa, mas se você reparar mais tem detalhes importantes como a luminária, o acabamento na parede e teto, e os objetos sobre a lareira – repare no uso da transparência do vidro com o fundo branco. {DI}

piso branco

O ambiente completo. Quem dá as cores são os livros, lembra muito um ambiente do Starck que mostrei no post dele. {DI}

estante na sala

Lembram? “Olha como o branquíssimo destaca o colorido da estante.” {Starck}

banheiro branco

Quem precisa de cores em um banheiro com uma parede viva para admirar? {DM}

decoracao loja de joias

E adivinha a combinação que a Baccarat usou na loja dela? Com muito brilho e transparência, a cara da marca. {Starck}

Moral da história? Todo ambiente transmite alguma sensação e o branco pode ajudar a intensificar contrastes, iluminar e ampliar espaços.

Fontes:

Arch Inspire

Emmas Design Blogg

Dear Designers

Desire do Inspire

Design Milk

Philippe Starck

Cortinas – vestindo suas janelas

Tem gente que diz que as cortinas são as roupas da casa, que não podem faltar, etc. Eu acho que cada caso é um caso, depende do conceito do projeto e das suas necessidades.

paredes de vidro sem cortinas

Quem precisa de cortinas aqui? O telhado não deixa o sol bater nos móveis, não tem o que temer dos vizinhos e a vista é parte da beleza da casa.

Cortinas servem basicamente para 3 coisas: filtrar ou bloquear a luz do sol, dar privacidade e decorar o ambiente. A primeira etapa é saber o que você espera da sua cortina. Uma sala de TV ou home theater pode precisar bloquear a luz externa, sendo recomendado o blecaute. Mas o quarto da criança pode filtrar a luz do dia com menos rigor, até para avisar a hora de acordar.

Já no quarto do casal que não quer ser alvo de voyeristas, a luz que tem que ser filtrada é a interna, evitando que a movimentação no ambiente seja vista pelo lado de fora.

Decidido o objetivo da cortina, vamos aos tipos. Você pode usar um varão ou um trilho, também chamado de trilho suíço.

O Varão

cortina com varao de galho de arvore

Pra você nunca mais esquecer o que é um varão.

O varão pode ser simples, duplo ou triplo – em cada um vai um tecido: forro, cortina e xale. Utilizamos varões para cortinas que não começam no teto. Os varões precisam de ponteiras para evitar que as cortinas escorreguem para fora.

decoração de sala com cortina

Neste ambiente Roberto Migotto utilizou varão duplo. O forro de seda crua deixa quase toda a luz passar, mas mantém a privacidade. {Casa}

ilhoses de metal na cortina

Ilhoses são uma boa solução para que a cortina corra pelo varão. {CF}

cortina de tecido

Ou alças com o mesmo tecido também ficam bonitas. Aqui tem que ter cuidado para não fazer cortinas muito pesadas porque fica difícil movimentá-las depois. {CF}

Os Trilhos

Os trilhos são ótimos para ambientes que precisam de bloqueio total da luz porque são parafusados no teto, portanto o tipo ideal para cortina com blecaute. Podem ficar embutidos no forro de gesso ou, com um centímetro a mais, a própria cortina esconde o perfil de alumínio. Eu sempre digo que cada caso é um caso, não gosto de dizer que nada é feio porque isso depende MUITO mas, geralmente, se você começou a cortina lá no alto do teto, fica uma composição mais bacana se a cortina for até o chão.

Também podem ser simples, duplos ou triplos e ocupam bem menos espaço do que os varões.

como prender a cortina no trilho

O trilho de alumínio e rodízios presos ao tecido. {AT}

cortina embutida

Fernando Piva abrindo uma de suas cortinas. Repare no acabamento de madeira / gesso que está protegendo os trilhos e nas laterais da cortina. {Casa}

Pregas, franzidos, etc

O volume e o caimento da cortina vão depender muito do tecido utilizado e do acabamento que for feito.

cortina com pregas

Prega Americana. Foi a prega utilizada com varão pelo Roberto Migotto e nos trilhos pelo Fernando Piva, nos ambientes acima. {CF}

pregas com botões na cortina

Prega Macho com botões (que não precisam estar aí). Este tipo de pregas utiliza menos tecido do que para fazer as Pregas Americanas. {CF}

cortina com xale

Oscar Mikail utilizou pregas macho tanto no forro quanto na cortina deste ambiente. As pregas são maiores que as americanas, dando menos movimento, mas ainda com bom volume. {Casa}

cortina em quarto infantil

Pra quem ficou curioso de como é a prega fêmea, o efeito é parecido com o da prega macho.

pregas diferentes na cortina

Prega Inglesa. Acho um charme os 3 tons que a cortina fica. {CF}

cortina transparente esvoacante

Esta é uma cortina franzida. Você usa menos tecido e consegue um efeito de volume interessante. {AT}

cortineiro de madeira

A solução de Fernanda Marques para este ambiente foi interessante. Ela utilizou um cortineiro de madeira que disfarça o ar condicionado, deixando só frestas para a saída do ar frio. A cortina não tem pregas nem franzidos, você consegue este efeito colocando mais tecido. {Casa}

cortina com varão

Também sem pregas ou franzidos, o projeto de Mário Almeida utiliza varões de bambu e não tem forro. Se o ambiente não recebe sol diretamente é uma solução interessante. {Casa}

cortina lisa

Os painéis deslizam nos trilhos e são uma solução mais discreta. Mas você pode fazer várias brincadeiras com imagens e grafismos para deixá-lo mais dinâmico. {Casa}

Tecidos

Existem milhões de tipos de tecido e não vou te iludir dizendo que vou te explicar todos. É importante primeiro saber que tipo de visual você espera – volumoso, discreto, pesado, formal, sofisticado, brilhante, translúcido, moderno? E depois de saber o que você quer, ir “sentir” cada um nas lojas de tecidos para decoração e de cortinas e ver qual se encaixa melhor no seu plano. Vou passar algumas dicas importantes para você saber escolher o melhor tecido para o seu objetivo, ok?

1 – Sempre pergunte se o tecido encolhe na lavagem. Alguns precisam ir pra lavanderia para lavagem a seco.

2 – O forro é importante para proteger os móveis e pisos do sol. O tecido mais usado neste caso é o voil, mas pode ser de algodão também.

3 – Os tecidos sintéticos podem até ser mais baratos, mas o movimento e caimento dos tecidos naturais é incomparável.

4 – Quanto mais fino o tecido, menos volume ele vai fazer. Para compensar isso, você utiliza uma metragem maior para franzir, fazer pregas ou para deixá-lo acumular no varão ou nos trilhos, liso, mesmo.

5 – Alguns tecidos já são super encorpados, como o xantungue e o tafetá de seda, mas eles são carinhos…

6 – Para avaliar a transparência, use um objeto colorido atrás do tecido e observe contra a luz. Na sua mão, um linho rústico pode parecer impenetrável, mas contra a luz pode ser transparente, como na última foto acima.

Dúvidas?

Veja a página de perguntas frequentes AQUI antes de fazer uma pergunta, respondi uma especialmente sobre cortinas.

E há uma seleção de posts de cortinas em uma página AQUI.

Fontes e Imagens: Casa.com.br, Casa Fortaleza, Apartment Therapy

Decoração rústica e elegant – Hotel Design Tierra Atacama

Um hotel boutique em pleno deserto do Atacama, no Chile. A princípio não faz muito o meu estilo, mas merece meu respeito sincero o fato de que os arquitetos* e decoradores** conseguiram transmitir o conceito pretendido muito bem – preservar a cultura local e suas influências proporcionando relaxamento e aventura aos hóspedes. Parece tão difícil combinar esses dois últimos, não? Eles conseguiram.

casa de pedra

A fachada do hotel, com pedras, barro e madeira, não agride a paisagem, ela se integra, realmente fazendo parte do deserto.

iluminação área externa

E nem por isso ele é sem graça, muito pelo contrário. Não te deu vontade de dar um pulinho por lá?

lareira externa

Isto aqui é mais que relaxante… nada para roubar a beleza da natureza, tudo muito harmônico, aconchegante e informal. Fica claro que a aventura está no deserto, e que aqui é lugar para descansar e jogar conversa fora…

decoração com banquinhos de pele

O uso de materiais e artesanatos locais compõem perfeitamente com a arquitetura e o conceito. Lãs de llamas e alpacas aquecem os ambientes com muita delicadeza e criatividade.

decoração com paredes de pedra

A piscina e o spa são moderníssimos, mas nem por isso deixaram o ambiente sem vida. O rústico que fica chique.

decoração com tapete de vaca

Os quartos e banheiros são modernos, com acabamentos de primeira, mas a sensação que a madeira, a lã, o couro, as impressões nas paredes e até a cortininha de bambu passam é só paz e tranquilidade, mesmo.

Isso significa que é possível fazer um hotel luxuoso de bom gosto com decoração rústica.

* – Rodrigo Seale, Matias Gonzalez, Colin Henry e Andrea Borraes
** – Alexandra Edwards e Carolina Delpiano

Imagens: Tierra Atacama

Inspiração para as paredes

As paredes podem ter um papel estrutural, ser meras coadjuvantes na decoração, servir para pendurar um quadro bacana, ou podem roubar a cena e dar um toque muito interessante no ambiente.

lavabo verde azul e amarelo

Você pode usar cores e padrões irregulares, com tinta ou papel de parede. Olha como a parede é a principal atração deste banheiro. {DI}

decoracao branca

Ou somente molduras diferentes vazias. {DI}

papel de parede no teto

Papel de parede é sempre uma alternativa. Neste cômodo, ele foi pro teto também. {AT}

decoracao papel de parede interativo

Este papel de parede, do designer Duncan Wilson, é um espetáculo. São bloquinhos de post-it que começam cinza-claro até chegar no fundo vermelho. A parede muda de acordo com o uso, tornando-se uma obra de arte feita pelos membros da casa. {DW}

quarto de brinquedos

Esta papel de parede também é interativo, várias molduras esperando uma nova “arte”. Nada de paredes rabiscadas pela casa, mais. E um bom lugar para mostrar suas fotos e habilidades artísticas. {AT}

decoracao com quadros na parede

Também interativa, as pranchetas penduradas podem mostrar as fotos da última viagem, ou das próximas, os desenhos da família, um documento ou matéria do jornal. {DI}

azulejos que mudam de cor

Estes azulejos mudam de cor com a temperatura. Nada melhor para avaliar o clima do ambiente 😉 {AT}

decoracao com estante de nichos

Todas as paredes deste apartamento viraram uma estante de nichos. Ocupa espaço, mas fica linda. {AT}

parede de madeira

Esta é uma casa feita de troncos, mas podemos adaptar para um acabamento lindíssimo na parede da sala, por exemplo. {ML}

decoracao com lego

Encaixar legos em paredes quebradas (propositalmente no nosso caso) dá um toque colorido e inesperado. {WU}

Se você tem ou conhece uma parede especial, manda pra gente!

Imagens: Apartment TherapyDesire to InspireDuncan WilsonMocoLocoWebUrbanist

Hotel Gran Bavaró – Punta Cana – tive que tirar umas fotos…

Oi, gente! Saudades do blog…

Estive uma semaninha de férias, fui para Punta Cana, na República Dominicana. Como lá é uma região só de hotéis All Inclusive (aliás, alguém sabe por que não chama All IncluDED?), não tem muita coisa pra se fazer a não ser curtir o hotel e a praia. A praia não perde para nenhuma praia bonita do Brasil, e All Inclusive tem meio a mesma cara em todo lugar… o legal foi que passamos o Natal em família, que mora meio espalhada, e curtimos o tempo pra bater papo, jogar Uno e brincar com a minha afilhada linda!

Como eu não sou de lagartixar no sol porque faz mal pra pele, tive que inventar coisas pra fazer, e uma delas foi tirar fotos do hotel pra depois contar pra vocês…

A primeira é só pra matar de vontade de pular numa piscina, tomar uma cervejinha no bar molhado… olha que céu azuuuul…

As fachadas no nosso bloco de prédios seguiam um padrão de cores – as paredes internas eram sempre amarelo-escuro. Já as paredes externas eram verde-acinzentado ou vermelho-tijolo. Lembram que tipos de combinação são essas?

O verde e o tijolo são cores complementares, e estão nas paredes que mais se destacam nas fachadas. Como os edifícios são próximos, o contraste fica muito visível, o ambiente fica alegre, divertido. O amarelo, que está presente no fundo dos dois, é a cor que fica bem no meio do caminho entre o tom do verde e do tijolo, no círculo cromático… o que traz uma simetria entre os pares de cores de cada prédio, evitando o destaque a algum deles.

Sobre os quartos…

Eu adoro a combinação de marrom com amarelo, mas…

…reparem que nas fotos anteriores as esquadrias das janelas e varandas eram brancas, linhas retas, modernas. O que tem a ver essa porta de madeira na entrada do quarto?? Daí vocês entendem por que eu nem vou mostrar o interior do quarto… melhor deixar a fachada principal na cabeça de todo mundo.

Olha que legal as cores que eles escolheram para as toalhas da piscina… complementares também: azul e laranja.

O outro bloco era um pouco mais suave, todos os prédios eram iguais, laranja com verde. Na piscina eles usam as mesmas cores, porém muito mais saturadas, causando mais excitação visual na área de lazer.

Mas tem uma terceira cor fundamental nessa combinação que parece que não é proposital mas é fundamental para a composição – o azul da piscina e do céu. Pela técnica, é a combinação tríade, onde o azul e o verde estariam na mesma distância da cor complementar ao tom amarronzado do laranja.

Mudando de assunto…

Interessante o material de revestimento da piscina.

Achei esse acabamento muito bacana. De longe parecia pedra pomes. De perto vi que era um tipo de fulget – uma massa com micro pedrinhas, o que é mais aderente do que azulejos, evitando escorregar nas escadas, ou na piscina de crianças. Imagino que seja muito mais barato também, e as pastilhas de vidro no nível da água dão um tom mais sofisticado do que seria uma piscina toda sem cor, apesar de ficar azulzinha também. Tem que avaliar como fica a facilidade de limpeza.

Olha o piso da área externa.

Pesquisei mas não encontrei nada sobre o material do piso, pareciam rochas de corais fossilizados. Tentei achar um padrão, mas realmente cada placa era completamente diferente da outra, como se um coral tivesse encostado num cimento molhado. Muito interessante. Ainda não sei se ecologicamente corretos… se alguém souber, conta pra gente.

Aqui uma “jacuzzi” aquecida bem gostosa… mas vamos combinar que não é a coisa mais inteligente do mundo você ter que passar pela água gelada da piscina pra chegar lá e, pior, sair de lá depois de ficar quentinho…