Truques pro Apartamento Parecer Maior – Branco Milagroso

Na série de posts sobre como fazer um ambiente parecer maior já falamos de trazer luz e permitir que o ar passe pelos móveis. Mas eu ainda não falei da primeira dica que todo mundo dá: do branco milagroso.

sala de almoço com bancos e cadeira eames

Mas o branco não é milagroso, porque ele não age sozinho. Quais dicas você já consegue identificar na foto 1? Bastante luz natural, integração de ambientes sem paredes e pés nos móveis com bastante chão à mostra. O branco é só um dos elementos que ajuda a deixar o ambiente mais amplo. Mesmo assim, o efeito mais importante não é da cor isoladamente, mas da composição monocromática.

8. Disfarce quinas usando a mesma cor em todas as paredes, cortinas, portas e janelas. É a mesma história que falei sobre evitar sombras muito marcantes. Paredes com cores diferentes vão quebrar o ambiente em partes e escancarar os seus limites. Cores contínuas fazem as quinas desaparecerem.

pintar parede atrás da cama

9. Use um rodapé alto e da mesma cor que o piso. A impressão é de empurrar o limite um pouco mais pra frente.

paredes pretas na sala

Na foto 3 você consegue perceber o uso de paredes pretas disfarçando os limites entre elas. O teto branco em contraste é quem “acusa” o tamanho real neste caso. Se você tem um pé direito generoso (boa altura total do piso ao teto), você pode fazer um rodateto na mesma cor do teto e provocar a mesma sensação. Ou se beneficiar de um efeito que eu chamo preto infinito, dá uma olhada.

parede azul sofa rosa

Viu como o branco que amplia ambientes? Só que não 😉

Imagens: 1 | 2 | 3 | 4 |

Entre na primavera com cores e estilo!

Amanhã chega a primavera. A estação das flores traz com ela a marca da transformação. Não é só a natureza que se renova, mas a nossa casa também pode entrar nessa grande brincadeira. Que tal trazer um pouco de cores e alegria para os ambientes sem perder de vista um toque de atualidade e estilo?

A nossa dica é fugir um pouco da coisa mais tradicional e romântica, muito comum quando lembramos de flores. A gente pode apostar em algo mais estilizado, como a mistura de estampas e as cores mais fortes.

decoração de primavera, como decorar sua casa na primavera, cantinho charmoso, futton com almofadas

1

Encher a casa de almofadas com estampas de flores pode ser o jeito mais fácil e rápido de dar um certo ar de primavera ao ambiente. Abuse dessa mistura com cores fortes, como rosa pink,  vermelho, amarelo e azul turquesa. Arrumadas assim, em cima de um futon colorido, elas ficam ainda mais charmosas. Principalmente quando são o toque de cor para um ambiente branco como esse.

Como decorar a casa na primavera, estampas de flores, papel de parede de flores, mistura de estampas na decoração

2

O papel de parede é outra opção bacana para colorir a casa na primavera. Ele pode ficar mais moderno quando misturado a outras estampas. Repare nesse ambiente: flores na parede, listras no sofá, poá nas almofadas. As cores trabalhadas não brigam entre si: verde musgo, vermelho, marrom e amarelo. Esse detalhe é fundamental para que a mistura de tons e formas não seja exagerada.

como usar cores em ambiente neutro, como colorir ambiente neutro

3

O ambiente tem como base vários tons de cinza. Sofás, tapete, almofada e móveis oferecem neutralidade para a sala. Dessa maneira, fica muito interessante inserir alguns objetos de muita cor, como essa cadeira amarela e o pufe com estampas de listras e flores com traços antinaturalistas. Cores e formas que dão vida ao ambiente!

tecido dá ar contemporâneo, misturando o romântico com o moderno, um toque de primavera no quarto

4

Encapar a cúpula de uma luminária antiga com uma linda estampa de flores pode ser uma saída bem criativa. Essa da foto lembra uma praia do Havaí. Misturar os elementos nesse caso pode ser interessante: o espelho e a cômoda com um ar mais retrô ganharam novos ares com o tecido mais contemporâneo.

Em qual das ideias apostaria nessa primavera para deixar sua casa mais charmosa?

Imagens: 1, 2, 3, 4

Montando um quarto lúdico

Essa semana nossa colaboradora Marina Teiman fala sobre como transformar o quarto de seus filhos em um ambiente mais lúdico, com pequenas ideias. Aproveita e vai lá conhecer o blog dela, Parabólica.

Por Marina Teiman

Hoje resolvi me dedicar aos ambientes infantis. Se tem uma coisa que eu acho que combina muito com a decoração de quartos de crianças é o lúdico. Estimular a criança a brincar desde cedo é tão importante para seu desenvolvimento motor, como para a sua criatividade. Não há nada mais importante para a criança do que o brincar. Que tal fazermos a nossa parte estimulando-os?

Separei algumas soluções simples e de baixo custo que transformarão completamente o quarto de seus filhos em um lugar interativo e atrativo.

Quarto infantil com base de lego verde na parede, em que criança pode montar peças

Sou fã da Lego, e adorei essa ideia de cobrir as paredes (faria apenas uma para dar mais amplitude ao quarto) com as placas de base verde. Depois, é só encaixar as pecinhas e se divertir. O mais legal de tudo é que a proposta é válida tanto para as meninas como para os meninos.

Papel de parede imitando uma lousa, lousa no quarto infantil para a criança desenhar

Outra solução para as paredes seria cobri-las com um papel de parede que imite uma lousa, o que as deixaria bem mais divertidas. Ou, melhor, pintá-las com tinta de lousa para que a criança mude sua decoração quando quiser. Dá até pra fazer a lição de casa. Mais uma proposta unissex.

Calendário personalizado em quarto infantil ajuda crianças a lembrar de compromissos

Calendários também são ótimas opções. Esse é importado e vem com todas as atividades para a criança preencher, mas você (e seu filho, claro) pode criar um bacanérrimo e personalizado. Sem contar que é divertidíssimo tornar o preenchimento do calendário um hábito antes de dormir. Ajuda a criança a se organizar e a ter a segurança de que elas tanto precisam.

Cama infantil com gavetas que se transformam em espaço para a criança brincar e montar quebra-cabeças. Na prateleira de baixo as outras peças ficam guardadas

Essa é uma opção mais trabalhosa, mas ótima para a criança aprender a brincar de guardar também! A primeira prateleira serve para montar jogos e brincadeiras e fica intacta, sendo que a atividade pode ser continuada depois. Já na de baixo, fica o restante das peças a serem guardadas.

Fotos: 1,2,3 e 4

Casa de 1751 ganha banho de tinta e fica com a cara dos donos

Numa bela e antiga construção de 1751, a artista Kristin e seu marido Nicholas Mark passaram os últimos 14 anos pintando e repintando cada ambiente, conferindo aos cômodos um pouco de sua própria personalidade.

Tons fortes em verde, vermelho e azul contrastam com estampas geométricas nas paredes e nos acessórios, enquanto fotos antigas e o mobiliário de família dão uma pitada vintage à decoração.

biblioteca verde, móveis e objetos antigos, decoração vintage
Neste escritório, por exemplo, uma pintura de verde lavado na parede faz contraponto com a manta vermelha sobre a cadeira e o tapete turco. A máquina de escrever sobre a mesa de madeira e as dezenas de livros na estante, dispostos de forma aleatória, dão um toque pessoal ao espaço. As lanternas turcas penduradas também fazem a diferença e deixam a casa mais charmosa.
sofá listrado, papel de parede geométrico e cadeira vermelha na biblioteca
No living, a artista criou seu próprio papel de parede, recortando tampas de caixas do correio americano, colando-as umas sobre as outras e soltando sua criatividade na hora de pintá-las à mão. Mais uma vez são as fotos antigas, os móveis e outros objetos que mostram que vive uma família ali, e que não se trata apenas de um showroom de decoração.
Painel antigo de madeira cobre a lareira na sala e objetos trazidos de viagem dão toque pessoal à decoração
No entorno da lareira, o painel de madeira foi preservado. Objetos trazidos de viagens e algumas fotografias arrematam o visual.
Sala com parede estampada e florida, quadros e móvel antigo de família repaginado
Neste cantinho da parede, a pintura à mão faz a diferença. O aparador é herança da tia-avó da artista e, após ter recebido uma fina camada de tintura preta ficou um pouco mais moderna.
Cozinha rústica com móveis de madeira coloridos, piso de madeira de demolição, luminária de ferro fundido antiga, mesa de madeira antiga
Na cozinha, o móvel da avó foi repaginado. Ganhou tintura laranja e uma cortina de bordado no lugar de uma porta quebrada. Na copa, o piso de madeira de demolição foi mantido e combina com a madeira da mesa antiga. A luminária de ferro fundido preto complementa o aspecto rústico/retrô.
luminárias de papel, teto de madeira, cadeiras coloridas na sala de jantar
O casal construiu ainda um segundo ambiente para as refeições, que ficou divertido com lanternas de papel, quadrinhos e cadeiras coloridas.
Sala de estar com móveis de vime, luminárias antigas pintadas à mão e almofadas coloridas
Como extensão do ambiente de refeições, foi criada uma colorida área para as visitas, a partir de mobiliário de vime, almofadas de estampas distintas e luminárias antigas. Veja que a iluminação natural, vinda de janelas bem amplas, faz com que o espaço pareça maior do que realmente é.
quarto com parede laranja de patna ganha ar rústico com madeira aparente no teto
Neste quarto, os moradores optaram por brincar com tons quentes, como laranja, rosa e amarelo. O quadro na parede, que fica rústica com suas madeiras aparentes, se destaca por conta da cor verde.
banheiro tem metade da parede em madeira branca e a outra metade da parede amarela, com banheira antiga e manchada
Nem o banheiro escapou das cores! Metade da parede é coberta com réguas de madeira e a outra parte com tinta amarela. Veja que propositalmente foram deixadas algumas marcas de tinta na banheira, reforçando a mensagem de que ela já é bem antiga.
fachada da casa americana branca construída em 1751, decorada com cores por artista
Casa branca antiga de 1751 ganhou anexo de madeira
Por fim, vejam que singela a fachada da casa, que há dois anos recebeu um anexo de madeira.
Fotos: Houzz

Cores e formas no trabalho de Calu Fontes

Cada peça feita pela artista plástica Calu Fontes é uma obra de arte por si só. A pintura em porcelana e azulejos, combinada com o uso de decalques, formam painéis, paredes inteiras, móveis e peças atemporais, que nunca saem de moda.

pintura à mão e decalques em porcelana e azulejos

Calu Fontes em frente às suas peças. Técnica mistura pintura à mão e uso de decalques em objetos

Quem visita seu ateliê na Vila Madalena mal consegue imaginar a artista rabiscando os cadernos dos colegas e fazendo molduras para os trabalhos da faculdade de arquitetura. Ao conseguir estágio em uma loja de cerâmica, no entanto, essa vocação pôde – finalmente – ser colocada na cerâmica e mostrada ao mundo.

azulejos pintados à mão e com decalques em painel zen de área externa

Azulejos colados na parede formam um espaço zen em área externa. Antes de começar a pintar, artista rega plantas, acende incensos e ouve música

Calu costuma dizer que nunca sabe como ficará uma peça quando começa a pintá-la. Seu processo criativo começa logo pela manhã, quando ela chega ao ateliê, abre as portas, rega as plantas do jardim, acende um incenso, lê alguma coisa e depois coloca a mão na massa.

Calu Fontes se inspira em orixás, santos, natureza e animais

degraus são preenchidos por azulejos coloridos e desenhados

Azulejos podem ser colados em paredes, escadas e móveis

O trabalho da artista traz alegria e vibração a ambientes variados, como salas, varandas e cozinhas.

azulejos e porcelana pintada à mão são marca registrada da artista Calu Fontes

Na cozinha, painel sobre a pia deixa ambiente bem descolado e jovial

A artista deu uma pequena entrevista para a gente. Confira:

Como e quando você começou a pintar?

Eu amo desenhar desde pequena, sempre gostei! Comecei a pintar porcelana assim que ingressei na faculdade de Arquitetura do Mackenzie, o ano era 1993. Ao invés de estagiar em um escritório de arquitetura optei por um estágio em um ateliê de cerâmica. Assim, as pinturas e desenhos que eu já fazia em papel e aquarela foram parar em cerâmicas e utilitários.

Como se dá seu processo criativo?

Gosto de trabalhar ouvindo música e algumas vezes os trabalhos nascem destas melodias. Também alguns saíram de poemas como um quadro que fiz com um texto da Emily Dickinson, outro foi inspirado em um poema do Neruda e outro em um do Vinicius de Morais. Além da porcelana eu também trabalho com desenho, aquarela e colagens, e geralmente uso o mesmo roteiro quando inicio um trabalho: escolho um elemento que será o ponto de partida para começar e, a partir daí, sigo sem saber aonde vai dar. Gosto de descobrir meu próprio trabalho e me surpreender com que rumo ele tomou. No caso da porcelana, meus trabalhos mesclam o adesivo com a pintura à mão. Geralmente começo fazendo uma base de tinta com texturas e arabescos feitos com pincel. Esta peça vai ao forno. Quando retorna para as minhas mãos, aplico decalques e ela vai ao forno novamente. Muitas vezes continuo o processo fazendo mais uma camada de sobreposição de desenhos e submetendo-a a mais uma queima. Digamos que funciona mais ou menos assim: a cada layer, uma queima.

E a evolução da sua arte? O que você  gostava de pintar e que ficou para trás? Qual sua principal inspiração agora?

No início, eu trabalhava apenas com pintura à mão. Somente após sete anos, introduzi o decalque nas composições.

O que vc gosta mais de fazer? Vasos, azulejos… 

Não tenho uma peça preferida. O estimulante é justamente ter esse leque de opções.

Você diria que suas peças combinam com qualquer estilo ou tem um perfil que se adequa mais?

Acho que combina com qualquer estilo. Fico feliz quando alguém escolhe uma peça no meio de tantas. Como são todas exclusivas penso que ela foi feita para aquela pessoa que a escolheu. Aonde ela será colocada e como será usada fica por conta do cliente, sem minha interferência.

Que ambiente que você mais gostou de fazer?

Atualmente, meu xodó é o painel de azulejos que fiz para o evento Design Weekend. Montei um painel de azulejos nas seguintes dimensões: 5,50m x 2,40m. Foi um presente para a cidade, inspirado na azulejaria portuguesa e nos peixes porque sou filha de Iemanjá e minha família é toda da Bahia. Ele está instalado na esquina da Rua Aspicuelta com Vicente Polito, na Vila Madalena. O projeto Arte na Cidade fica à vista de todas as pessoas que frequentam ou estão de passagem pela rua.

Esse aí de baixo é o xodó da Calu, que ficou de presente para a cidade de São Paulo.

Painel de azulejos foi feito pela artista Calu Fontes durante o Design Weekend e ficou de presente para a cidade de São Paulo

Artista, que tem família baiana e é filha de Iemanjá, se inspirou em peixes e azulejaria portuguesa para fazer painel

A gente agradece, Calu!

As fotos são daqui

Uma casa de campo minimalista

Uma casa no campo não precisa necessariamente ter uma decoração antiga e tradicional. Esse projeto de arquitetura em uma fazenda da África do Sul é encantador justamente porque consegue fugir do lugar comum e criar ambientes inovadores a partir da mistura do rústico com o clean. Parece contraditório, né?

casa de campo contemporânea

A ideia dos proprietários era construir um pavilhão, no alto de uma montanha e separado da casa principal, onde pudessem relaxar, se divertir e ainda hospedar amigos e parentes.

No deck construído do lado de fora, o futton com almofadas é perfeito para as duas coisas. Ali é possível tanto se deitar para ler um livro e apreciar a paisagem quanto para reunir pessoas queridas para um bate-papo. A ideia do tacho com fogo, uma espécie de lareira portátil, é também muito interessante para aquecer os dias mais frios. As duas cadeiras grandes têm um design lindo e parecem ser super confortáveis.

Piscina interna

A piscina que corre na lateral da sala chama a atenção. Ela fica praticamente dentro de casa e pode ser usada nos dias mais frios, porque é fechada com paredes e teto de vidro. O vidro possibilita a entrada de luz e calor. O destaque fica por conta da parede de terra prensada, chamada no Brasil de taipa de pilão. Para dar esse ar rústico e natural ao projeto, os arquitetos usaram o material em vários ambientes.

banheiro de fazenda

Veja como fica a parede de taipa de pilão no banheiro. A tora de madeira foi usada como aparador e o chão de cimento queimado também traz um ar de rusticidade ao ambiente. Aqui o contraste é trabalhado com a pia e a banheira brancas, ambas com design clean e minimalista.

cozinha minimalista

Minimalismo também na cozinha – branca, toda em linhas retas e acabamento liso e brilhante. Nem puxadores dos armários você vê. O contraste com as vigas e as paredes de madeira traz um efeito bem interessante.

Quarto com dois ambientes

O quarto único é dividido em dois ambientes. As paredes de vidro permitem que os proprietários apreciem a paisagem. Na parede que serve de suporte à cama, a imagem das montanhas da África do Sul simula uma paisagem.

Paredes de vidro, misturar vidro com madeira, árvore dentro de casa.

Uma árvore cresce no meio da sala de jantar e atravessa o teto. A mesa e os bancos de madeira seguem essa ideia de uma casa natural. As paredes também são de vidro, o que garante um ambiente naturalmente iluminado. As cores ficam por conta de pequenos objetos e de uma linda colcha cobrindo um dos bancos.

Você acha que esta é uma casa minimalista ou rústica? Projeto inspirador, não? Encontramos aqui.

Piso laminado na cozinha, pode?

Você já viu que este mês eu sou a profissional responsável por responder perguntas dos leitores da Casa Cláudia? Corre lá pra me prestigiar 🙂

E surgiu uma pergunta bem interessante que achei bacana contar a resposta pra vocês também.

Posso colocar piso laminado na cozinha?

Já faz um tempo que a cozinha virou um ambiente social, onde a gente cozinha junto com os amigos e bate papo no fim do dia com a família. Cada vez mais queremos uma cozinha integrada com a sala. E para promover a integração visual desses ambientes, e não deixar a sala com cara de cozinha, podemos usar os mesmos materiais, cores e estilos.

painel de madeira na cozinha

cozinha integrada

Utilizar o mesmo piso é uma boa opção e a integração visual fica nítida. Porcelanato, alguns tipos de pedras naturais, cimento queimado e ladrilhos hidráulicos são ótimas alternativas para isso. Acontece que todos esses são pisos frios e, às vezes, a gente quer madeira, mesmo, bem aconchegante. Mas… tem que ter muita grana pra forrar a casa inteira de madeira, né? Os pisos laminados são uma alternativa comum para trazer essas sensações da madeira para dentro de casa, apresentam uma boa durabilidade e são de manutenção simples. E aí surge a pergunta: e na cozinha, dá certo?

A resposta é: pode. Mas, como tudo na vida, é uma escolha que envolve alguns impactos. O piso laminado não pode ser lavado com água, como é costume aqui no Brasil. A limpeza é com um pano úmido e sabão neutro, somente.

Ou seja, se você é um gourmet de mão cheia, adora experimentar mil receitas, refoga arroz diariamente, cozinha bastante ou faz frituras com alguma frequência, é bom ficar atento. De duas uma: o piso vai ficar sujo e manchar, durando pouco, ou você vai ter um trabalhão para manter limpinho.

Mas, se você é do tipo prático que compra lasanha congelada e só tem o trabalho de colocá-la no micro-ondas, não é nada grave. A limpeza que o piso da cozinha vai demandar vai ser similar à do piso da sala de jantar. E se você um dia resolver cozinhar pra fazer graça, é só limpar conforme orientação do fabricante depois. De qualquer forma, o cuidado para não encharcar o piso lavando louça continua valendo, ok?

Você tem piso laminado na cozinha? Conta aí pra gente se você acha que deu certo!

Imagens: 1 | 2

Quer saber mais sobre tendências na cozinha?  Falei disso lá no Conversa na Cozinha em 2011, lembram?

E tem também algumas dicas sobre cozinhas americanas, sobre o uso de depuradores e coifas em cozinhas integradas e, por que não, ter um sofá na cozinha.

Curvas e fluidez em parque temático da Porsche

A nossa colaboradora Débora Foresti está de olho em tudo de bacana que rola lá na Europa. Dessa vez, ela trouxe pra gente os detalhes de um parque temático feito pelo escritório alemão Henn, e que abriga alguns carros da marca Porsche.

Por Débora Foresti

O escritório de arquitetura alemão Henn criou esse pavilhão de linhas simples e orgânicas. Com seu telhado de aço curvo, a construção abriga alguns carros da marca Porsche, no parque temático Autostadt em Wolfsburg, na Alemanha.

parque temático Autostadt, com carros da Porsche, na Alemanha

A beleza desse projeto é inegável. Sua estrutura, em um balanço de 25 metros sobre o “rio” que serpenteia o parque é, sem dúvida alguma, impressionante! Suas linhas curvas e suas dobras estimulantes tornam o pavilhão uma escultura dinâmica, com formas derivadas da imagem da marca Porsche.

Pavilhão da Porsche, construído pelo escritório alemão de arquitetura Henn

Estrutura de 25 metros margeia rio do parque Autostadt, na Alemanha

Do modo que foi projetada pelo escritório Henn, a estrutura captura o fluxo dinâmico do ato de dirigir, e o olhar do visitante acompanha cada curva em looping infinito. O revestimento, em aço inoxidável, forma o envelope vibrante do prédio dando a impressão de uma unidade homogênea. Mas também cria uma aparência de constante mudança por refletir as condições do clima e da luz ao seu redor.

 Estrutura foi projetada pelo escritório Henn

Embaixo da estrutura em balanço, forma-se um espaço externo coberto que é visualmente conectado à paisagem circundante. Ao mesmo tempo, compõe sua própria caixa acústica e tem capacidade para algumas centenas de convidados.

parque temático Autostadt, com carros da Porsche, na Alemanha, foi projetado pelo escritório Henn

Arquitetura e paisagem, interior e exterior, bem como telhado e fachada são reunidos pelo escritório Henn no seu conceito arquitetônico de um espaço contínuo, fluido e coerente.

 Parque temático Autostadt, na Alemanha

Similar às tecnologias usadas para estruturas leves nas indústrias automotiva e aeroespacial, o envelope do edifício forma um invólucro espacial que atua, ao mesmo tempo, como suporte estrutural.

No total, 620 folhas de papel de revestimento em aço inoxidável com nervuras soldadas foram pré-fabricadas em outra cidade e montadas no local. Dentro do pavilhão, o espaço se abre e permite ao visitante experimentar os carros da marca Porsche e conhecer sua história, deixando de lado restrições e limites convencionais.

A rampa elíptica abraça o princípio dinâmico da arquitetura e leva o visitante às áreas mais baixas do palco de exibições.

parque temático Autostadt, na cidade de Wolfsburg

Curtiu? Vai lá e prestigia o blog da Débora!

Fotos: 1,2,3,4,5,6 e 7

Casa ganha novo invólucro sobre fachada antiga

Os arquitetos do escritório Ooze, com base em Paris e Roterdã, aceitaram o desafio de aumentar essa casa na Holanda aproveitando o espaço já construído e criando um novo invólucro pra fachada. A casa original lembrava uma típica fazenda holandesa e foi erguida no início do século passado.

Projeto de casa com telhado verde e ripas de madeira é do escritório escritório Ooze, com base em Paris e Roterdã

Casa recebeu nova fachada, mas preservou características antigas de fazendas holandesas

Em 2003, ela já havia passado por uma ampliação. Mas agora foram acrescentadas escada lateral, placas de grama e ripas de madeira no telhado para que a identidade com as antigas casas do bairro fosse mantida. O objetivo do escritório era “redescobrir o futuro” por meio da preservação da alma da casa da forma mais sustentável possível.

casa tem telhado verde, vigas de madeira, muito vidro e ângulos

Ampliação foi feita sobre estrutura antiga e deu espaço à construção de uma nova escada na lateral

As duas paredes principais da planta original tiveram sua altura aumentada para sustentar a nova altura da construção, de 11 m.

O layout consiste em uma estrutura de formato semicircular, com dois novos volumes verticais unidos sob um telhado pontiagudo.

Casa lembra origami japonês. Fachada nova foi erguida sobre estrutura antiga

Com ângulos diferentes, nova fachada lembra origami

O interior da casa é elegante e clean, com pouquíssimos móveis – convenhamos que com um exterior desses a casa nem precisaria de muito mais sofisticação por dentro!

Uma boa sacada foi o uso de painéis pré- fabricados de madeira na obra, o que permitiu que o projeto fosse concluído mais rapidamente.

A sala de jantar, que é uma extensão da cozinha, foi mantida no térreo e ganhou um mesão branco com luminárias bem modernas.

Cozinha fica na área térrea e tem saída para área verde

Cozinha branca e elegante foi construída no térreo da casa

Por serem mais leves, os materiais que foram usados também permitiram que as paredes externas mantivessem sua espessura fina. Veja que os limites entre teto, parede e chão desaparecem.

Novo anexo da casa holandesa deu a ela diferentes ângulos

No quarto, nova estrutura trouxe luminosidade, mas tomou parte da altura do teto. Por isso, a opção pela cama de futon

As novas escadas levam ao segundo e ao terceiro pavimento, onde foi feita a ampliação.

Casa ficou moderna com vidro, madeira e muitos ângulos, mas manteve identidade com antigas fazendas holandesas

No térreo da casa, anexo abriga escada que leva aos andares superiores

Luminárias modernas, escada e muitos ângulos em casa cômodo do novo anexo

Segundo andar da casa, com vista para telhado verde

Obra adicionou fachada feita de vidro e madeira à casa na Holanda

Muitos ângulos mesclam os limites entre teto, paredes e chão

Não é que o formato lembra aqueles origamis japoneses?

Fotos: Yatzer.com

Apartamento em Madri fica moderno, amplo e arejado após reforma

Com alguns pequenos detalhes é possível transformar totalmente a sua casa e modernizá-la, e é sempre estimulante quando conseguimos ver um exemplo desses. Quem diria, por exemplo, que esse apartamento em Madri era feio, escuro tinha portas estreitas e tetos baixos?

Sala branca ganhou cor com mesas vermelhas, luminária e quadros

Bastou que o proprietário derrubasse algumas paredes, elevasse o teto em 20 cm retirando o rebaixamento de gesso e aumentasse a largura das portas para que ele ficasse bem mais arejado.

Veja que o portal parece ter sido recortado, deixando mostrar as irregularidades na forma da madeira. O acabamento ficou interessante e aqueceu o ambiente, dando a ele um toque rústico que contrasta com o branco clean e os móveis pouco volumosos.

Além disso, a altura do portal ficou maior, o que dá a sensação de amplitude na sala.

Com a base toda branca, o cômodo ganha cores com as almofadas, os quadros na parede e as mesinhas de centro vermelhas.

sala branca e moderna, cortinas leves e brancas

Por ser uma sala pequena, o proprietário optou por usar duas mesas quadradas como mesa de centro. Além de terem uma estrutura bem leve, que não polui visualmente o ambiente, elas são versáteis já que podem ser usadas em diferentes posições.

Outra sacada bacana foi empilhar vários livros mais grossos, formando uma espécie de mesinha de apoio ao lado da poltrona.

sala moderna em apartamento de madri

Nos janelões foram usadas cortinas claras e leves, que permitem a entrada de mais luz e ventilação natural.

Sala de jantar se transforma em escritório e biblioteca

A sala de jantar ganhou um ar moderninho com cadeiras estofadas em tecido listrado preto e branco. Já o espaço da parede foi aproveitado para a instalação de uma prateleira, que abriga os livros da casa. A mesa de jantar também pode ser usada como mesa de escritório.

Área de circulação entre sala de jantar e de estar

Por trás das duas salas há uma área de circulação que leva para o quarto e a cozinha. O espaço ganhou um charme a mais com o tapete com estampa zebrada (super combina com as mesinhas vermelhas da sala de estar e com as cadeiras forradas da sala de jantar), uma escultura e um aparador embutido que pode esconder livros, louças e outras coisas da casa.

Apartamento pequeno e bem aproveitado com projeto moderno

O armário de madeira também pode abrigar louças, prataria e objetos de menor uso.

A passagem para a cozinha é feita por um portal bem amplo, com uma porta de correr para isolar o ambiente. Cada espacinho do cômodo é aproveitado com armários, gavetas e prateleiras. O fogão e o forno são embutidos para o melhor aproveitamento da área. Repare que a janela da cozinha a torna mais iluminada e arejada.

fogão e forno foram embutidos para aproveitar melhor espaço da cozinha

Na suíte, os espaços também são aproveitados ao máximo. A parede ganhou uma prateleira para livros e um espelho grande foi apoiado entre o dormitório e o banheiro.

Quarto pequeno e bem aproveitado com prateleiras e espelho na passagem entre dormitório e banheiro

suíte pequena ganhou espelho para ampliar espaço

Gostou das soluções? Então compartilha com os amigos!

Fotos daqui