Os três passos para uma boa iluminação na decoração

Uma ferramenta importantíssima e muitas vezes negligenciada até por profissionais é a iluminação de um ambiente. Ela é responsável por garantir o mínimo de visibilidade e segurança – para caminhar, ler, cozinhar, comer – mas também é o principal instrumento de ambientação de um espaço, que traz conforto visual, dá o clima pretendido, cria efeitos especias, destaca objetos e traz emoção.

Para facilitar, vamos resumir a três os tipos de iluminação em uma residência: a geral, a de tarefa e a decorativa.

Primeiro passo: garantir a iluminação geral

É a responsável por garantir que o ambiente como um todo estará iluminado e que ninguém vai tropeçar em um degrau ou bater a cabeça em uma prateleira por falta de luz. A melhor fonte neste caso é a própria luz do sol.

sala bem iluminada

1. Janelas amplas deixam a luz entrar, as paredes e o teto super brancos refletem essa luminosidade dando um banho de luz em todo o ambiente.

Quando chega a noite, ou quando a luz do sol é insuficiente, podemos utilizar a iluminação artificial para complementar. Ela pode ser direta ou indireta.

plafons redondos na sala de estar

2. Idealmente, a luz direta deve se propagar nas três dimensões. Isso significa que spots embutidos no forro de gesso NÃO cumprem a função de iluminação geral de um ambiente. Plafons, pendentes, luminárias de piso ou parede com cúpulas translúcidas são mais indicados.

quarto todo branco com luz indireta

3. A iluminação arquitetural (indireta) utiliza elementos da arquitetura como teto e parede para refletir a luz. Ao contrário do que se pensa, com uma boa lâmpada e tendo uma parede em textura e cor adequadas para refletir luz, esta é uma forma bem eficiente de se iluminar um ambiente.

Segundo passo: providenciar iluminação para as tarefas

Depois que o ambiente como um todo estiver bem iluminado, pode ser necessário um ponto extra de luz para proporcionar conforto ao ler um livro ou segurança para cortar uma peça de carne na bancada da cozinha, por exemplo. Essa luz deve ter uma intensidade adequada para o tipo de tarefa e ser direcionada para o local de realização dessa função.

Além disso, deve estar livre de obstáculos até a superfície a ser iluminada para não provocar sombras (se a sua mão ou sua cabeça estiverem no meio do caminho), e evitar o ofuscamento direto (luz direcionada para os olhos) ou indireto (reflexo excessivo).

luminarias para cozinha

4. De novo, cuidado com os spots embutidos no forro de gesso se a intenção é apoiar uma tarefa. Em uma cozinha, por exemplo, seu corpo pode fazer sombra sobre a bancada. A solução de iluminação sob o armário superior é excelente.

abajur para leitura na sala

5. Para leitura, esta luminária funciona super bem. Pode ser movimentada facilmente, alterando seu ângulo, não tem o risco de sua cabeça entrar no caminho e apresenta uma intensidade boa, superior à luz ambiente.

Terceiro passo: divirta-se com a iluminação decorativa

Agora, sim, chegou a vez dos spots embutidos no forro de gesso. Seu ambiente já está iluminado e você consegue realizar suas tarefas com conforto e segurança. É hora de fazer graça.

A iluminação decorativa é toda ligada nas emoções que você quer transmitir. Elas não têm uma função racional, a não ser dar destaque a objetos, criar uma atmosfera aconchegante ou efeitos interessantes.

spots destacam parede listrada

6. Spots dão destaque a uma parede diferente.

iluminação na sala

7. Spots ou fitas de LED embutidas dão destaque para objetos em nichos e quadros.

iluminacao colorida na decoracao

8. Neste bar, a intenção era dar um clima de mergulho, trazendo a sensação de se estar no mundo submarino. Fala que não conseguiram só com a iluminação? Até me lembrou o post que fiz sobre o filme Avatar.

Resumindo, é importante sempre passar pelos três passos: avaliar se a iluminação geral está suficiente, se as tarefas podem ser realizadas com segurança e conforto visual e só pensar em soluções para dar um efeito especial na decoração com a garantia de já ter alcançado os dois primeiros passos.

Para mais posts sobre iluminação, veja este sobre minha birra com o uso excessivo de spots e sobre lâmpadas fluorescentes, principalmente para a iluminação arquitetural.

Para quem quer brincar com os efeitos dos diferentes tipos de iluminação, recomendo os sites da Dominici e da La Lampe. Fica super fácil de entender!

Imagens: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8

Esse post foi publicado em Cozinha, Decoração, Sala de Estar e marcado , , , , , por Manu Mitre. Guardar link permanente.

Sobre Manu Mitre

Sou Engenheira Química e Designer de Interiores. Sim, sou super generalista e me envolvo em todos os assuntos que existem, adoro. E isso dá um resultado muito interessante. Comecei com o meu próprio apartamento, mudando até a cozinha de lugar. E ficou sensacional, sem falsa modéstia. Criei o Casa da Id&a em 2009 para mostrar um pouco o que eu acredito ser Design de Interiores de verdade – inspiração, design e arte. Sem “pode” ou “não pode”, o que importa é a mensagem e a sensação que o ambiente transmite.

8 respostas em “Os três passos para uma boa iluminação na decoração

  1. Pingback: Truques pro Apartamento Parecer Maior – Luz e Espelho | casa da idea

  2. Completando, pois esqueci rss… se tem uma distancia padrão entre os spots e a parede e entre eles tb ok,
    bjs
    Robson.

    • Robson,
      como expliquei aí no post, não sou a favor de depender puramente de spots embutidos para toda a iluminação de um ambiente. É importante seguir os 3 passos, e os spots de destaque ficam por último. Dê uma olhada no post que fiz especificamente sobre esse assunto: http://casadaidea.com.br/2011/01/23/iluminacao-spots-embutidos-forro-de-gesso/
      Sobre as distâncias e número de lâmpadas, recomendo que contrate um projeto luminotécnico mais completo pois tudo isso depende do tipo de lâmpada, da potência que você for utilizar, das cores e texturas do ambiente, etc.
      Abs
      Manu Mitre

  3. Manu, boa tarde, me ajude porfavor, tenho procurado muito e não vejo nada a respeito. É que rebaixei meu teto, fiz simples mesmo, nada de sanca, rebaixamento liso mesmo e não tenho a minima noção de qtos Spots colocar, minha sala tem 5,10 x 2,30 um lado terá a mesa de jantar e do outro o sofá e tv, antes de rebaixar tinha 2 pontos de luz e antes de rebaixar eu joguei 1 ponto p metade da sala e outro p outra metade e gostaria de saber qtos spots colocar p cada parte da sala, comprei tb 2 dimmer p cada, não sei se me fiz entender direito, enfiim… obrigado.

    Robson.

  4. Pingback: Decorar com linhas retas ou curvas? | casa da idea

  5. Pingback: Votem em nossa casa no prêmio TopBlog e nos ajudem a crescer! | casa da idea

  6. Manu, quanta informação você passou em um simples post. Parabéns, idéias claras e diretas assim como a noção de iluminação e decoração de ambientes. Além de tudo é colega de profissão (eng. química).
    Gerson.

Os comentários estão desativados.