O segredo de uma boa decoração – parte IV

O mais difícil que é construir o conceito já foi. Agora você agarra nele e não solta! Se você ainda não encontrou uma foto ou imagem para traduzir o seu conceito, agora pode ser uma boa ideia. Ou um filme, uma música, algo mais concreto. Eu sou visual e preciso de fotos, mas você vai descobrir como criar sua âncora para não fugir da sua proposta.

O objetivo agora é desdobrar o conceito em decisões mais concretas sobre a decoração. O partido é o conjunto de características que o ambiente terá: cores, materiais, formatos, luz, texturas e até cheiro e som. Você pode simplesmente listá-las, mas algumas pessoas gostam de montar um moodboard para ajudar.

ideias para decorar a casa

1. Este é um exemplo de moodboard. Os tons de roxo e cinza brincam com o branco total reforçado por iluminação natural,  aspecto clean, tecidos agradáveis ao toque, poucos adornos e acessórios.

Um moodboard é um painel de inspiração. A tradução literal seria um quadro de humor ou “clima”, algumas pessoas no Brasil chamam de painel semântico. Você pode fazer em um quadro de cortiça ou em uma cartolina, com recortes de revistas, amostras de tecidos e materiais. Mas existem ferramentas na internet que te ajudam a fazer um painel virtual (veja no fim deste post).

inspiração rural

2. Um painel com inspirações no mundo rural – madeira rústica, pedras, plantas, um animal de pele bem quentinha, cores terrosas, portas e janelas pintadas de branco, placas. O painel me transmite uma sensação de curtir um friozinho no campo, com um cobertor bem fofinho, numa casa de pedra e madeira. E para você?

O moodboard não precisa ficar bonito, a ideia é que ele transmita o clima e as sensações que você quer alcançar no seu ambiente, que ele te guie e facilite o direcionamento de suas ideias. Se alguma coisa parecer fora de lugar (uma cor, uma textura ou estampa) é nessa hora que você consegue perceber e priorizar, mudar o plano, refinar o partido. E é observando o moodboard que você pode descobrir que quer um tapete de couro ou uma cortina de seda, por exemplo.

painel de ideias para decoração

3. Este é um moodboard físico, com amostras de tecidos e materiais, recortes de revista, rascunho de uma planta baixa, um cartão postal. Qualquer objeto ou imagem podem entrar, não se prenda ao óbvio.

O processo de construção do moodboard é mais importante que o resultado final. Isso significa que ele é dinâmico e deve ser uma ferramenta para te ajudar a pensar, imaginar, criar. Tem que ser uma etapa gostosa de se fazer.

O único cuidado que sugiro tomar é não tentar começar já a fazer o projeto, escolher os móveis e detalhes sem amadurecer bem o partido antes. É hora de pensar em:

Cores – poucas, muitas, só duas, tudo brancão? Cores harmônicas, contrastantes, toque sutis de cores vivas ou tudo super colorido? Lembre que branco e bege também devem ser consideradas aqui.

inspiração de cores para decoração

4. Sua paleta de cores pode surgir da imagem que você escolheu para ilustrar o seu conceito, do seu moodboard ou da sua cabeça, mesmo.

Recomendo muito o site Design Seeds para encontrar inspirações de paletas de cores. Se a foto te transmite a sensação que você procura, verifique a paleta que a autora preparou, é batata!

Materiais – que tipo de material transmite o que você pretende? Lembre-se de pensar nas sensações, nas memórias e referências que você elaborou, “aconchegante” aqui pode ser insuficiente. Que tipo de tecido, fibra, madeira, metal ou vidro conseguem replicar essas sensações? Ou quais as afastam e devem ser evitados?

Texturas – brilho, fosco, rústico? Toque suave ou áspero? Sobreposições, misturas de estampas, tipos de acabamentos de madeira (pátina, laca, de demolição…), metal (cromado, escovado, fundido…) e pintura (brilho, semi-brilho, fosca, texturizada…) entram aqui. Cada textura transmite mensagens e sensações diferentes.

ideias para decoração de natal

5. Cores, estampas, materiais, palavras e objetos inspiram uma decoração de Natal

Formas – linhas retas, orgânicas, padrões geométricos? Sim, essa definição é importante para transmitir seu recado. Veja um post sobre o assunto AQUI.

Luz – direta, indireta, natural, filtrada, branca, amarela ou colorida? Mil possibilidades que mudam totalmente o clima. Mas ainda não precisa escolher a luminária, tá?

Outras particularidades – tamanhos, proporções, repetições, simetria, algum ponto focal que já esteja definido – seu quadro favorito, um tapete super especial, um sofá pink…

Alguns profissionais de design usam o moodboard para ajudar na construção do conceito, mas não é regra. Para quem nunca fez isso antes, sugiro amadurecer bem a intenção do conceito e só depois partir para o “como” chegar lá. Se no meio do caminho você perceber que o conceito pode ser melhorado, é só voltar um passo e rever. Lembre-se: não tem “pode” e “não pode”, é do SEU jeito.

Recomendo algumas ferramentas para fazer moodboards pela internet: PinterestMy DecoImgSpark, você conhece mais alguma bacana? Compartilhe com a gente. E aproveite para visitar a seleção de moodboards que eu fiz no Pinterest🙂

Continua…

Imagens: 1, 2, 3, 4, 5

8 respostas em “O segredo de uma boa decoração – parte IV

  1. Pingback: Ferramentas ajudam a colocar ambientes na planta | casa da idea

  2. Pingback: Curso de decoração – parte VI | casa da idea

  3. Pingback: O segredo de uma boa decoração – parte V | casa da idea

  4. Pingback: O segredo de uma boa decoração – parte III | casa da idea

Os comentários estão desativados.